Início » Brasil » RO: Rio Madeira tem a pior cheia em 17 anos
cheia recorde

RO: Rio Madeira tem a pior cheia em 17 anos

Já são 18 mil desabrigados e a única rodovia entre o Amazonas e Acre está interditada

RO: Rio Madeira tem a pior cheia em 17 anos
Moradores estão vivendo em barcos e palafitas e tentando pescar nas ruas alagadas (Reprodução/Internet)

Na pior cheia do Rio em 17 anos, neste sábado, a cota do rio chegou a 19,70 metros, em Rondônia, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA). Já são mais de 18 mil desabrigados e muitos moradores estão vivendo em palafitas improvisadas em embarcações, dentro do rio.

O rio Madeira é o principal afluente do rio Amazonas. Em Humaitá, a 600 km de Manaus, a cota do rio atingiu 25,3o metros, a maior em cem anos e já cobriu  50% da área urbana da cidade.

Um dos maiores problemas são esgotos e fossas, que circulam junto com as águas que alagam as ruas. Em alguns locais, as pessoas tentam pescar nas ruas, em águas contaminadas, onde já foram relatados casos de diarreia e leptospirose.

A BR-364, única estrada que liga o Amazonas ao Acre, está interditada em pelo menos dois  pontos, causando problemas de desabastecimento no estado vizinho. A previsão é que obras de uma estrada alternativa fiquem prontas ainda esta semana.

A Polícia Rodoviária Federal informou que quando a rodovia for liberada, o motorista que seguir de Porto Velho para Rio Branco, no Acre,  deverá usar três balsas para fugir dos seis pontos de alagamento, que, no total, somam 130 quilômetros. As previsões são de chuva até o mês que vem.

 

Fontes:
g1-Forte correnteza do Madeira impede que BR-364 seja liberada, em RO
g1-Famílias atingidas pela cheia em RO vivem em flutuantes no Rio Madeira
g1-Em Porto Velho, situação do Complexo Madeira-Mamoré é crítica
R7-Com maior cheia em cem anos, rio Madeira encobre 50% de Humaitá (AM)
R7-Cheia do Rio Madeira deixa 18 mil pessoas desabrigadas em Rondônia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *