Início » Vida » Comportamento » Se minha Kombi falasse…
Volkswagen

Se minha Kombi falasse…

A história de uma charmosa van para acampar

Se minha Kombi falasse…
A princípio, a Kombi era vendida como um veículo de acampamento para baratear as férias (Reprodução/Internet)

A história da Kombi, originalmente produzida como um veículo para acampar, começa em uma bombardeada fábrica alemã na cidade de Wolfsburg, no final da Segunda Guerra Mundial. Aquela fábrica produziu os primeiros Fuscas, à época idealizados por Hitler, mas foi desativada para uso militar durante a guerra. Ivan Hurst, um major do Exército britânico que supervisionou a reconstrução da fábrica no pós-guerra, ajudou a reiniciar a produção dos Fuscas da Volkswagen.

O próximo personagem a entrar no enredo é Ben Pon, um negociante de carros holandês que importava Fuscas. Durante uma visita a Wolfsburg em 1947 ele desenhou em um pedaço de papel como o Fusca poderia ser transformado em uma pequena van, que ele estava interessado em vender para comerciantes no exterior. O rascunho de Pon eventualmente tornou-se a Kombi (ou VW Transporter), que gerou diversas variedades comerciais, incluindo um micro-ônibus. No entanto, não foi a Volkswagen que transformou o Fusca em van, mas uma série de fabricantes de carrocerias, como a Westfalia, na Alemanha, e Danbury e Devon, na Grã-Bretanha.

As vans convertidas em veículos para acampar proporcionavam uma forma barata de tirar férias. Essas Kombis eram levadas em aventuras, dirigidas por hippies da geração Beat e incorporadas ao folclore do surf. Ao longo do caminho elas adquiriram um ar de contracultura. A Volkswagen só começou a fabricar a sua própria versão da Kombi em 2004. Ou seja, ao contrário do que se pensa, ela é moderna e nem um pouco  original.

 

Fontes:
The Economist - A Bug´s Life

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *