Início » Sem categoria » Venezuela quer hegemonia no mercado de alimentos
Força estatal

Venezuela quer hegemonia no mercado de alimentos

Toneladas de comidas estragam enquanto falta o básico nos supermercados

Venezuela quer hegemonia no mercado de alimentos
Falta alimento nos supermercados estatais (Fonte: AP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em plena crise de escassez de alimentos básicos nos supermercados estatais da Venezuela, Hugo Chavez decretou guerra econômica ao setor privado. A resposta do presidente venezuelano aparece após terem sido descobertos mais de 2.300 conteiners de carga de alimentos  importados em decomposição e que nunca foram distribuídos a população. A compra foi feita pelo governo no ano passado.

O governo admitiu que 30 mil toneladas de alimentos estão apodrecendo no porto Puerto Cabello. De acordo com a oposição, são mais de 75 mil toneladas ou um quinto do que a empresa estatal PDVAL importou em 2009. A carga foi descoberta no mês passado por agentes da inteligência que investigavam roubo de leite em pó.

A PDVAL é uma subsidiária de Petróleo da Venezuela criada em 2008. Ela entrou no mercado quando a Nercal não estava conseguindo dar conta do trabalho. O objetivo da estatal é conseguir a “completa supremacia alimentar” e acabar com o Hugo Chávez chama de “acumulo e contrabando” pelo setor privado.

O ex-presidente da PDVAL Luis Pulido foi preso por corrupção e outros 20 funcionários podem também ser presos. Desde 2003, o governo vevezuelano impôs controle de preços em produtos alimentares. O resultado foi uma enorme inflação. O preço dos alimentos cresceu 21% nos primeiros cinco meses deste ano, divulgou o Banco Central. Alimentos básicos faltam mais em lojas da PDVAL do que em supermercados particulares. Mesmo assim, o Estado está se esforçando para atingir o que chama de hegemonia estatal sobre os alimentos.

A empresa que ainda impede que o presidente instale um comunismo parecido com o de Cuba é a privada “Polar”, a maior empresa de alimentos do país.

Leia mais:

Venezuela: a República Bolivariana balança

Rússia e Venezuela devem fechar acordo bélico

Fontes:
Economist - Food fight

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

7 Opiniões

  1. andre becker(Santos/SP) disse:

    é la tem presidente , ele luta pelo povo dele de verdade
    aqui no ano passado foram descoberto 290 mil toneladas de feijão que apodreceram em depositos do governo federal e nada aconteceu puder
    presidente aqui não tem, gente descente nos poderes tambem não tem ha mas impediu o aumento miseravel para os aposentados e ainga jogou nas costas dos ministros,
    só que só quem pode realizar tal ato é o presidente LULA e os deputados e senadores, ministro não pode fazer isto e é lei prevista na constituição federal, o LULA jogou nas costa dos ministros por que sabe que o povo brasileiro não sabe de nada mesmo e ou poucos que sabem não se envolvem.

    iniciou a Copa e ja os dep federais sancionaram o projeto de finalização do 13º salario que esta nas mãos do senado, mais uma vitoria do LULA de retirar o 13º salario do trabalhador, coisa que ele vinha tentando desde 2003.
    e por ai vai
    o bolsa familia foi retirados de 400 mil familias so na baixada santista o LULA alega que foram os prefeitos que assim o quiseram e que elenao tem controle sobre isso,mas quem enche a boca para falar em bolsa familia é somente o LULA.

    e existem boatos vindos de dentro da prefeitura de Paia Grande de que os vereadores pegam o bolsa familia para eles, dizem que um destes safados recebe 130 bolsas familias por mes, mas se nao der na tv Globo ninguem quer saber, parabens ao Hugo Chaves, esse tem tudo roxo e mete bronca mesmo nos safados daquele pais, ai a tv lixo daqui fica taxando ele de péssimo,péssima é essa rede imunda que prejudica o Brasil desde sempre, deve ser fechada tambem

  2. Genivaldo disse:

    Chavés é muito legal com os seus patriotas em vez de alimentos ele compra armas, navios e aviões para uma possível guerra contra os USA é ou não é muito legal?

  3. Eleutério Sousaa disse:

    El problema de Venezuela es qur no produce alimentos. Su estructura productiva es petrolera y compran todo lo que necesitan. Hace falta cambiar toda su mentalidad y no mirar con desconfianza a quien quiera producir. Es un bellísimo país y merece ser muy feliz pues es la patria de adopcióm de mucha gente del mundo.

  4. REGINALDO NUNES disse:

    A única opinião é sem dúvida nenhuma opinião!

    Os fins de uma ditadura sempre parecem justificarem os meios, mas seus métodos demonstram ao final que respeitar um único modo de ver qualquer coisa leva à cegueira completa e as distorções que afundam negócios , familias e Paises.
    O Pais encontrando ante de Hugo Chavez era uma holigarquia dura e irreponsável que tirava do povo Venezuelano e entregava aos americanos.Hoje temos uma certa distribuição de renda e um avanço na classe mais pobre daquele pais mas avança de forma firme a ditadura escondida por uma legalidade imoral e rasteira fundada no ego deste senhor.
    Precisamos estudar a fundo o caso para não galgarmos na mesma coisa, acharmos que qualquer solução é saida, que não é.
    Temos uma eleição pela frente, acusam o presidente Lula de compactuar com esse regime e com o do Irã, mas esquecem que ele vem seguindo rigorosamente nossa Constituição e não interfere na soberânia dos povos, o regime e a forma de governo é necessáriamente escolha deles, o que podemos fazer é ter uma ótima relação comercial e nos prepararmos para se isso começar a transcender nossas fronteiras.E isso nós estamos fazeno , mesmo com criticas de rearmamento de nossas forças militares.
    Com relação ao caso dos alimentos de que trata o artigo é apenas mais um entre os diversos atropelos e desmandos de um governo ditatorial e corrupto.

  5. Helio (Rio de Janeiro) disse:

    A questão alimentar é uma questão em países com ditaduras socialistas como Cuba, Venezuela, Coréia, China. Esta foi um dos desafios que resultaram em grandes fracassos. Se antes já importavam comida com petrodólares, agora nem importar conseguem.

  6. Markut disse:

    Sem novidades. Esses bolivarianos, assim cmo outros semelhantes, lá fora e aquí, não aprendeeram nada coms trágicaas exxperi~encias socializantes q

  7. Charles Goodwell disse:

    O fracasso da intervenção governamental onde o mercado consegue ser melhor regulador e distribuidor é uma lei universal. Tanto no Brasil do Sarney (1986-90) quanto na Venezuela de Chaves e em qualquer outra época e lugar.

    Como este fracasso não pode ser reconhecido pelos seus implementadores, resta a eles a teoria do bode expiatório para justificar o malogro: persegue-se o resto da iniciativa privada (supermercados) que ainda resta. É a velha e cíclica história do fascismo.

    O resultado é a perda do capital social, a involução, o empobrecimento de toda a sociedade e o rebaixamento das condições de vida do povo em geral.

    A inflação causada pela escassez do atropelo chavista vem a seguir como uma punição a mais para o povo venezuelano, criando as condições para a instabilidade institucional e a violência. Fica por fim a pergunta: até quando Chaves se manterá no Poder?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *