Ciro Gomes em 2019?

Ciro Gomes em 2019? »

19 mar, 2018
Paulo Gurgel Valente *

Segundo o presidenciável, o país não cabe na classificação entre ‘coxinhas e mortadelas’ e tudo está ‘estruturalmente errado no Brasil’

João Doria em 2019?

João Doria em 2019? »

5 dez, 2017
Paulo Gurgel Valente

Não é segredo que a maior parte das múltiplas viagens de Doria prepara sua candidatura à presidência da República

A economia é uma guerra: boas notícias do front externo

A economia é uma guerra: boas notícias do front externo »

22 jul, 2017
Paulo Gurgel Valente *

A economia é uma guerra, composta de muitas batalhas: desemprego, inflação, desequilíbrio fiscal, dívida pública, contas externas e a obrigação de atender minimamente a população

Contagem regressiva

Contagem regressiva »

27 mar, 2017
Paulo Gurgel Valente

Em 2018, as orientações de política econômica podem ser completamente diversas, dependendo de quem tomar posse

Vambora, Meirelles!

Vambora, Meirelles! »

28 set, 2016
Paulo Gurgel Valente

Convém recordar atitudes que o governo já deveria ter implementado de forma mais objetiva, como o limite para os gastos públicos

Ilan Goldfajn no Banco Central

Ilan Goldfajn no Banco Central »

4 maio, 2016
Paulo Gurgel Valente

Talvez virar a página da economia seja pouco para controlar a ‘nova matriz econômica’

Virando a página: Serra-Meirelles

Virando a página: Serra-Meirelles »

26 abr, 2016
Paulo Gurgel Valente

Neste momento há duas grandes apostas para comandar a economia ou ocupar ministérios importantes: José Serra e/ou Henrique Meirelles

Imagine

Imagine »

31 mar, 2016
Paulo Gurgel Valente

Você pode dizer que eu sou um sonhador, mas eu não sou o único, espero que um dia você se junte a nós, e o Brasil será como um só

A Casa Verde de Sérgio Moro

A Casa Verde de Sérgio Moro »

10 dez, 2015
Paulo Gurgel Valente*

Como em O Alienista, de Machado de Assis, há uma fila de próximos ocupantes da Casa Verde atual, muitos entronizados no Congresso

Muita sede ao pote

Muita sede ao pote »

9 jun, 2015
Paulo Gurgel Valente*

A atual crise brasileira é decorrente do remédio aplicado para consertar os efeitos calamitosos dos excessos de despesas do governo