Início » Vida » Afastando o asteróide que poderia se chocar com a Terra
Apophis

Afastando o asteróide que poderia se chocar com a Terra

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A empresa européia EADS, dona da Airbus, está preparando o envio de uma sonda para visitar o Apophis.

O Apophis é o asteróide que em 2036 vai passar perto de nosso planeta. O risco de um choque é pequeno, mas se acontecesse teria conseqüências gravíssimas. Se não a extinção de toda a humanidade, com certeza a destruição da vida em continentes inteiros.

Fontes:
Economist - Near-Earth objects -- Not in my back yard

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Ademir disse:

    Sim, "vamos fazer uma sonda para visitar o asteroide"…e por que não fazemos uma "sonda" para destruí-lo??? A "trabalheira" é a mesma…só o resultado é que seria outro, muito mais confortável para a humanidade…então, por que não investir nesta segunda hipótese, que é a melhor?
    P.S. para nós, brasileiros, o tempo que falta (31 anos) é o mesmo que falta até o Lula deixar de ser "presidente", isto é, dá "certinho" até ele acabar com o Brasil…o asteroide nem precisaria aqui fazer o "trabalho sujo" da destruição…já estará feito!
    (espero que o "Opinião e Notícia" respeite a minha opinião neste P.S. e divulgue o meu comentário…afinal, somos ou não somos uma "democracia"???)

  2. EDVALDOTAVARES disse:

    SERÁ INTERESSANTE ACOMPANHAR A AÇÃO DA SONDA DA EADS. Como impedir o choque de um artefato celeste de tais dimensões (320 a 415 metros de diâmetro) contra a Terra? Eis a questão!!! Primeiro, o fator tempo é importante para o estudo, planejamento, construção do equipamento de viagem espacial que irá destruir ou desviar o corpo sideral ameaçador, além do estabelecimento de estratégias que possam necessitar de emprego inoportuno imediato. Segundo, a explosão do asteróide vai requerer uma bomba nuclear de potência absurda para fragmentar esse intruso indesejável. Terceiro, a fragmentação do mesmo poderá ser até mais perigosa, podendo ocasionar queda de fragmentos grandes que poderão ameaçar populações inteiras. Quarto, pode ser lançado um foguetão gigante que viajando pelo espaço o encontre no caminho e vá "empurrando com a barriga para escanteio" o pedregulho ameaçador. Quinto, será que existe tecnologia para tal empreendimento? Sexto, se tudo isso falhar, só resta "mudar o planeta Terra de lugar". Por estas razões, o acompanhamento dessa sonda da dona do Airbus será assaz interessante, porque desperta a curiosidade de como ela vai aplicar o "chega prá lá" no Apophis e se o Destruidor estará disposto a atender o "gentil pedido". "BRASIL ACIMA DE TUDO". MÉDICO. PORTO SEGURO/BA.

  3. Markut disse:

    É estonteante e nos faz pequenininhos e descartaveis, face às poderosas forças da natureza.
    É assustador pensar que um evento desses pode ocorrer já , ou daquí a 100000 anos, um milhão de anos.
    Desapareceremos, como os dinossauros?
    A ciência e a tecnologia terão condições da salvar a espécie humana?
    No contexto do Universo, somos tão importantes assim?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *