Início » Vida » Ciência » É possível programar os sonhos?
Ciência

É possível programar os sonhos?

Aplicativo para iPhone desenvolvido por pesquisador norte-americano tenta descobrir quais sons influenciam os sonhos

É possível programar os sonhos?
Aplicativo 'Dream:On' transmite ambiente sonoro de um sonho pré-programado

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em janeiro deste ano, uma aplicativo japonês chamado Yumemiru tentava orientar a natureza dos sonhos transmitindo sons ambientes. Agora, um professor de psicologia da Universidade de Hertfordshire, Richard Wiseman, promete ir mais longe. Usando um aplicativo para iPhone baseado no mesmo princípio, o cientista quer criar uma base de dados para entender que sons influenciam os sonhos. Para isso, lançou um apelo a milhares de voluntários para descobrir se é possível criar o sonho perfeito.

O princípio é simples. Uma vez baixado o aplicativo Dream:On, basta colocar a hora em que deseja acordar e selecionar o tipo de sonho pré-programado antes de dormir. Em seguida, o aplicativo cuida do resto. Observando os movimentos da pessoa adormecida 20 minutos antes da hora prevista para despertar, procura detectar uma súbita pausa nos movimentos, sinal de que se está sonhando. O aparelho começa então a recriar o ambiente sonoro do sonho desejado, como canto de pássaros ou quebrar de ondas. Ao acordar, o aplicativo pede um curto resumo do sonho em questão.

Mais tarde, Richard Wiseman pretende integrar todos os resumos em uma base de dados para analisar quais sons influenciam os sonhos. Pesquisas já efetuadas em laboratório em pessoas adormecidas dão a entender que é possível fabricar os sonhos. O aplicativo tentará provar que a ideia funciona na prática.

Fontes:
The Guardian - New iPhone app aims to sweeten dreams

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Markut disse:

    Salvo melhor juizo, essa tentativa de querer “fabricar os sonhos” vem na contra mão da conceituação de Freud, para quem “o sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente”. Será essa estrada virtual do sonho fabricado capaz de conduzir ao inconsciente?
    Se o inconsciente for o repositório da experiência vivida de cada indivíduo, que sentido terá “fabricar os sonhos”?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *