Início » Vida » Ciência » Estudo revela que aparência pode ser fatal
Estudo

Estudo revela que aparência pode ser fatal

Criminosos com rostos que não inspiram confiança pegam sentenças mais duras

Estudo revela que aparência pode ser fatal
Pessoas que não inspiram confiança acabam sofrendo com isso (Foto: Pixabay)

Geralmente, as pessoas decidem rapidamente o quão confiável é um estranho com base na aparência de seu rosto. E experimentos mostram que geralmente as pessoas chegam à mesma conclusão. Há pouco consenso entre os pesquisadores sobre o fato de um rosto suspeito ser realmente de alguém mais propensos a trair a confiança. Essas pessoas que não inspiram confiança acabam sofrendo com isso. E um estudo publicado na Psychological Science  deste mês sugere que, em casos extremos – pelo menos nos Estados Unidos –  esse sofrimento pode ser fatal.

John Wilson e Nicholas Rule, psicólogos da Universidade de Toronto, analisaram assassinos condenados no estado americano da Flórida, que foram condenados a pena de morte. Eles selecionaram 371 prisioneiros no corredor da morte e mais 371 que pegaram prisão perpétua. Para evitar variáveis ​​de confusão, todos os escolhidos eram do sexo masculino e eram negros ou brancos (sem asiáticos ou de outros grupos étnicos). Cada amostra incluiu 226 condenados brancos e 145 negros. Um grupo de 208 voluntários, recrutado pelos psicólogos,  avaliou a confiabilidade de cada preso pelas imagens de seus rostos, em uma escala de um a oito, onde um era “nada confiável” e oito, “muito confiável” .

Os resultados revelaram que os rostos dos presos que estavam no corredor da morte receberam nota média de confiabilidade 2,76 e que os condenados à prisão perpétua, 2,87. Apesar de não ser uma diferença enorme, ela é estatisticamente significativa. Portanto, isso sugere que os réus que parecem não confiáveis são mais propensos a enfrentar uma injeção letal, se condenados, do que os que inspiram confiança.

Para mostrar que este não foi um resultado apenas entre pessoas que cometeram assassinatos mais hediondos (e, portanto, dignos da pena de morte), os pesquisadores também observaram os rostos daqueles que haviam sido condenados por assassinato, e em seguida, absolvidos em recurso, geralmente com base em provas de DNA. Esses inocentes, também, teriam tido frequentemente mais chances de ser condenados à morte em seus julgamentos originais se seus rostos fossem classificados indignos de confiança.

 

Fontes:
The Economist-Looks could kill

1 Opinião

  1. Roberto1776 disse:

    Reabilitação de Cesare Lombroso? Provavelmente não, pois suas ideias não eram nem são politicamente corretas, o que é um pecado capital no admirável mundo novo em que vivemos.
    Este cientista teve suas idéias rejeitadas muito rapidamente, apesar de ser considerado o pai da ciência forênsica.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *