Início » Vida » Ciência » Europeus e asiáticos se separaram há 40 mil anos, diz estudo
análise de DNA

Europeus e asiáticos se separaram há 40 mil anos, diz estudo

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores estudaram o DNA de Kostenki 14, um dos fósseis mais antigos dos humanos modernos, encontrado na Rússia e com idade avaliada em 37 mil anos

Europeus e asiáticos se separaram há 40 mil anos, diz estudo
Fóssil Kostenki 14, de 37 mil anos (Peter the Great Museum / Peter the Great Museum)

Um novo estudo realizado por uma equipe de cientistas de cinco países diferentes revelou que europeus e asiáticos separaram-se há pelo menos 40 mil anos. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores estudaram o DNA de Kostenki 14, um dos fósseis mais antigos dos humanos modernos, encontrado na Rússia e com idade avaliada em 37 mil anos.

O  sequenciamento do genoma do Kostenki revelou que os genes deste fóssil são semelhantes aos de europeus ocidentais e siberianos, mas diferente dos asiáticos, de acordo com os registros do período Paleolítico.

Além disso, os cientistas se surpreenderam com o fato de o DNA do Kostenki ser mais próximo do Neandertal do que os europeus atuais. A teoria é que os cruzamentos entre Neandertais e humanos modernos ainda eram recentes naquela época, já que ocorreram há aproximadamente 54 mil anos atrás.

Outra revelação importante do estudo é que  a estrutura genética dos europeus atuais é a mesma há 37 mil anos, logo sobreviveu à última idade do gelo. O que é surpreendente, já que os europeus são fruto de uma migração mais tardia do Oriente Médio, iniciada com a invenção da agricultura há cerca de 10 mil anos. Os pesquisadores acreditam, então, que estes povos do Oriente Médio já haviam cruzado com os caçadores do Paleolítico em tempos arcaicos e o DNA europeu há 37 mil anos já tinha uma estrutura complexa.

Fontes:
O Globo - Europeus e asiáticos se separaram há pelo menos 40 mil anos

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *