Início » Vida » Comportamento » Como o fracasso pode se tornar um degrau para o sucesso
ESTUDO

Como o fracasso pode se tornar um degrau para o sucesso

Estudo aponta que passar por um fracasso no início da carreira pode fortalecer uma pessoa e resultar em sucesso profissional em longo prazo

Como o fracasso pode se tornar um degrau para o sucesso
‘O que não me mata, me fortalece’, destacou Nietzche no passado (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em uma análise geral, jovens no início de carreira que ganham uma bolsa de estudos de especialização ou recebem um financiamento de pesquisa têm mais chances de serem bem-sucedidos do que os que têm as expectativas frustradas logo no começo.

Mas segundo um estudo de pesquisadores da Kellog School of Management, da Universidade Northwestern, nos EUA, o fracasso no início da carreira resulta muitas vezes em sucesso no longo prazo.

Os pesquisadores Dashun Wang, Benjamin F. Jones e Yang Wang basearam seu estudo em pedidos de financiamento para projetos de pesquisa encaminhados ao NIH Research Grant Project (RO1), do Instituto Nacional de Saúde (NIH), no Reino Unido.

A equipe analisou 778.219 pedidos de subsídios enviados ao RO1, entre 1990 e 2005. O financiamento concedido pelo RO1 para projetos de pesquisa de interesse do NIH é muito importante para impulsionar a carreira de profissionais da área biomédica.

O pedido de subsídio enviado ao RO1 é avaliado por um grupo de especialistas e os candidatos recebem uma pontuação, que os classifica a receberem o financiamento.

A análise da equipe da Kellog mostrou que os que não tinham alcançado a pontuação necessária para obter o financiamento, nos dez anos seguintes haviam publicado mais artigos científicos de sucesso do que os que tinham se beneficiado do subsídio.

Nos cinco anos após o pedido de subsídio ao RO1, o número de artigos publicados em revistas científicas de candidatos que haviam tido suas expectativas frustradas atingiu a proporção de 16,1%, em comparação com 13,3% do grupo escolhido no processo seletivo.

Embora não tenham chegado a uma conclusão precisa sobre essa história de sucesso, os pesquisadores da Kellog atribuíram a carreira bem-sucedida dos jovens frustrados ao esforço para superar o fracasso. Como disse Friedrich Nietzche: “O que não me mata, me fortalece”.

Fontes:
Quartz-The unexpected benefit of failing at the start of your career

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *