Início » Vida » Educação » Nigerianos gastam meio bilhão de dólares em escolas nos EUA
EDUCAÇÃO

Nigerianos gastam meio bilhão de dólares em escolas nos EUA

Número de estudantes nigerianos nos EUA ultrapassou a marca de 13 mil no último ano acadêmico - o dobro do número registrado no início da década

Nigerianos gastam meio bilhão de dólares em escolas nos EUA
A escolha de buscar educação nos EUA é amplamente motivada por problemas locais (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A precariedade do sistema educacional da Nigéria está custando ao país centenas de milhões de dólares. No último ano acadêmico, o impacto econômico dos gastos dos estudantes nigerianos que estudam nos Estados Unidos atingiu US$ 514 milhões, segundo dados do Instituto de Educação Internacional. O número supera o impacto econômico de estudantes da França, Alemanha e Reino Unido nos EUA.

Mantendo a tendência com uma preferência de longa data por buscar educação no exterior, a Nigéria foi o único país africano classificado entre os 25 principais países de origem para estudantes internacionais nos EUA no ano passado.

Toda a alocação orçamentária para a educação na Nigéria para 2019 foi de US$ 1,7 bilhão, que os críticos apontaram estar 15% a 20% abaixo do nível mínimo recomendado para países em desenvolvimento pela Organização Científica e Cultural da Educação das Nações Unidas (Unesco).

Os alunos nigerianos que estudam nos EUA ultrapassaram a marca de 13.000 no último ano acadêmico – o dobro do número registrado no início da década. Em comparação, nunca houve mais de 50 estudantes dos EUA estudando na Nigéria a cada ano na última década.

A escolha de buscar educação nos EUA é amplamente motivada por problemas locais. O subfinanciamento perene da educação na Nigéria resultou em um declínio significativo na qualidade dos professores e na infraestrutura das escolas.

No nível universitário, os problemas são agravados por ações recorrentes de greve de professores de universidades públicas em meio a protestos de baixos salários e benefícios.

Esses problemas estimularam o aumento de universidades privadas caras que oferecem a promessa de calendários fixos, sem ação de greve, e melhores instalações como alternativas viáveis para famílias de média e alta renda que buscam padrões mais altos.

Mas ainda há um problema de capacidade, já que o sistema universitário da Nigéria, que possui mais de 150 escolas, continua superlotado. Como tal, apenas um em cada quatro nigerianos que se candidatam à universidade consegue uma vaga. Entre 2010 e 2015, apenas 26% dos 10 milhões de candidatos que procuraram entrar em instituições de ensino superior do país foram admitidos, segundo a agência de estatísticas da Nigéria.

O apelo de universidades estrangeiras também vai além da disponibilidade de melhores instalações, já que os pais geralmente buscam desbloquear um nível mais alto de oportunidades para seus filhos. É um sentimento que atualmente está impulsionando a migração de nigerianos de classe média para o Canadá e a Europa.

Nos casos em que os estudantes voltam para casa, seus caros títulos estrangeiros também proporcionam uma vantagem no mercado de trabalho muito competitivo da Nigéria. Em comparação, estima-se que cerca de metade dos graduados das universidades nigerianas anualmente permaneçam desempregados.

Fontes:
Quartz-Nigerians are spending half a billion dollars to school in the United States

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *