Início » Vida » Ciência » A nova era da exploração consciente
MEIO AMBIENTE

A nova era da exploração consciente

Nesta nova era de descobertas, os aventureiros do passado em busca de glória estão sendo substituídos por exploradores que querem preservar o planeta e não dominá-lo

A nova era da exploração consciente
Exploradores estão muito mais conscientes da importância de preservar o meio ambiente (Foto: Wikimedia)

Os aventureiros que queriam explorar o mundo com o objetivo de vencer desafios e de testar a força de vontade, a coragem e a resistência estão sendo substituídos pelo espírito de preservação do planeta para as futuras gerações. Com o progresso da tecnologia, sobretudo na fotografia e nas telecomunicações, é muito mais fácil para um cidadão comum exercer esse papel. Hoje, a exploração do mundo é mais democrática e tem uma finalidade mais científica.

Mesmo assim, grandes regiões desconhecidas do mundo ainda são uma tentação para os que são motivados apenas pela atração da aventura. As mais óbvias são as milhares de montanhas a serem descobertas. Em seguida, a atração recai nas cavernas; segundo os espeleólogos que estudam a formação e a constituição de grutas e cavernas, metade das cavernas existentes no mundo nunca foi examinada. A Antártida, uma região maior do que os Estados Unidos e o México juntos, e a Groelândia, ainda oferecem grandes extensões de geleiras intatas para os mais corajosos e resistentes.

Milhões de hectares de florestas tropicais na bacia amazônica, na África e no Leste da Ásia, especialmente em Bornéu e Nova Guiné, ainda precisam ser exploradas. O fundo do mar é o que menos atrai a atenção. O cineasta Oliver Steeds, um dos mais importantes exploradores ingleses de oceanos, avalia que apenas 1% foi explorado. Por fim, existem povos que nunca tiveram contato com o mundo externo e cujas línguas são desconhecidas.

Embora a perspectiva de conhecer novos lugares e povos ainda fascine os aventureiros, os exploradores estão muito mais conscientes da importância de preservar o meio ambiente e menos interessados em serem vistos como heróis de filmes de ação. Mesmo os alpinistas, quase sempre pessoas obsessivas que lutam contra as forças da natureza para atingir os picos das montanhas, agora enfatizam seu papel no progresso da ciência e na proteção ambiental e de povos autóctones.

Fontes:
The Economist-A new age of discovery

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *