Início » Vida » Ciência » Incêndios florestais: de quem é a culpa?
Austrália em chamas

Incêndios florestais: de quem é a culpa?

Embora as mudanças climáticas sejam comumente responsabilizadas pelo aumento das queimadas, seres humanos são os verdadeiros vilões

Incêndios florestais: de quem é a culpa?
Conferência de especialistas em incêndios na Flórida, há dois anos, indicou que queimadas estão aumentando (Reprodução/EPA)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Incêndios florestais estão destruindo grandes partes do estado mais populoso da Austrália, New South Wales. Esses incêndios são comuns naquele país, mas desta vez parecem ser diferentes. Começaram apenas seis semanas após o início da primavera, depois do setembro mais quente já registrado no estado, e a pelo menos duas semanas do início da temporada de queimadas, entre dezembro e janeiro. Incêndios na região montanhosa de Blue Mountains, a oeste de Sydney, deixaram a maior metrópole do país envolta em cinzas e fumaça por uma semana inteira. Lembranças de incêndios devastadores no estado vizinho de Victoria em 2009 ainda são vívidas, assim como aquelas do fogo na Tasmânia no início deste ano.Tudo isso sugere que incêndios florestais estão aumentando na Austrália. Qual seria a causa disso?

Uma conferência de especialistas em incêndios na Flórida, há dois anos, indicou que queimadas estão aumentando. “Os incêndios não são apenas mais frequentes, mas a natureza das queimadas também está mudando”, concluiu a Forest Ecology na Management, uma revista científica. “Estamos vendo mega-incêndios cada vez maiores em tamanho e intensidade em muitas partes do mundo, incluindo na Sibéria, Alasca, Canadá, Estados Unidos e especialmente Ásia e Austrália.”, diz a revista. A crescente taxa de incêndios em Victoria, uma das áreas mais susceptíveis a queimadas no mundo, parece comprovar o alerta. As autoridades do estado registraram 87 incêndios em 2003, mais de 500 durante o verão australiano entre 2005 e 2006 e mais de mil entre 2006 e 2007. Estatísticas de outros estados são menos precisas.

O papel da mudança climática

A mudança climática é muitas vezes responsabilizada pelo aumento das queimadas. Questionada sobre os últimos incêndios na Austrália, Christiana Figueres, secretária-executiva da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, disse à CNN que havia “absolutamente” uma ligação entre alterações climáticas e incêndios florestais. Outros não estão tão convencidos: Tony Abbott, primeiro-ministro da Austrália e um cético da mudança climática, respondeu que Figueres estava falando sem dados concretos. O Conselho sobre o Clima, sucessor independente de um órgão consultivo que o governo de Abbott aboliu, argumenta que a mudança climática está “exacerbando as condições dos incêndios florestais”.

Mas outro fenômeno mais local pode estar contribuindo para os incêndios. Mais australianos estão se mudando para regiões remotas nas bordas das cidades, áreas antes cobertas por florestas. Os incêndios nas Blue Mountains e os de Victória em 2009, que mataram 173 pessoas, varreram esses distritos. Reclamações de ambientalistas sobre fumaça e ameaças à vida selvagem levaram políticos a reduzir o número de “queimas controladas” durante os meses mais frios do inverno. Isso deixou uma quantidade maior de madeira seca no chão para alimentar incêndios. Até mesmo antes desses distritos serem habitados, relâmpagos provocavam apenas um quarto dos incêndios, enquanto humanos iniciavam pelo menos a metade. Queimadas foram deliberadamente provocadas por criminosos ou começaram acidentalmente a partir de fogueiras acesas por agricultores, acampadores e outros. A queda de linhas de energia elétrica também fizeram a sua parte. O serviço de combate a incêndios de New South Wales informou em 23 de outubro que soldados disparando explosivos durante um exercício de treinamento haviam inadvertidamente provocado um dos incêndios em Blue Mountains.

A maioria dos australianos acredita que as queimadas estão aumentando, mesmo sem um estudo conclusivo afirmar o mesmo. Pode ser porque mais pessoas estão agora expostas a eles  e os surtos são mais intensos. Andrew Pitman, chefe do Centro de Excelência em Ciência do Sistema Climático da Universidade de New South Wales diz que incêndios e a forma como eles se espalham são tão complexos quanto a economia. Ele não está convencido de que os incêndios estão se tornando mais frequentes. Em dois pontos, porém, ele não tem dúvidas: “O risco de incêndios está aumentando e a vulnerabilidade das pessoas a eles está subindo rapidamente.”

 

 

Fontes:
The Economist - What Causes Wildfires?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *