Início » Internacional » Grande Barreira de Coral está perdendo capacidade de se recuperar
AUSTRÁLIA

Grande Barreira de Coral está perdendo capacidade de se recuperar

O aquecimento global e as emissões de dióxido de carbono ameaçam a sobrevivência da Grande Barreira de Coral da Austrália

Grande Barreira de Coral está perdendo capacidade de se recuperar
Grande Barreira de Coral da Austrália é um Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco (Foto: Wikimedia)

Segundo um novo estudo de uma equipe de cientistas, o aumento da temperatura do oceano está causando o fenômeno do branqueamento dos corais da Grande Barreira de Coral da Austrália. Sem os nutrientes fornecidos pelas algas que são expulsas de seus organismos por causa do calor, alguns corais morrem ou têm dificuldade de se reproduzirem.

Nos últimos dez anos, a temperatura da água acima da média provocou graves danos ao recife de corais de 2.300 quilômetros de extensão, sobretudo, nas ondas de calor em 2016 e 2017.

O estudo, publicado na revista científica Nature, examinou os corais que sobreviveram aos branqueamentos nesses dois anos e avaliou o número de corais novos, que repovoaram o recife em 2018.

Os cientistas concluíram que o fenômeno do branqueamento causara uma “redução drástica no número de corais no recife” e alertaram para o risco de um “colapso ecológico” na Grande Barreira de Coral.

“O número de novos corais reduziu-se em 89% após 2016 e 2017”, disse Terry Hughes, professor de biologia marinha na Universidade de Queensland, na Austrália, e o principal autor do estudo.

Os cientistas há muito tempo alertam para o impacto do aquecimento global na preservação da Grande Barreira de Coral. Eleito Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco em 1981, o recife de corais é um ecossistema que abriga uma grande biodiversidade de espécies de peixes, tartarugas, tubarões e mamíferos marinhos.

De acordo com Andrew Baird, coautor do estudo, a espécie Acropora, um dos corais mais importantes para a formação de recifes, sofreu uma redução de 93% após os danos ambientais de 2016 e 2017.

Em circunstâncias normais, os corais conseguiriam repor essas perdas nos próximos cinco a dez anos, porém, segundo os autores do estudo, o aquecimento global e a acidificação da água causada pelo aumento de COna atmosfera ameaçam sua sobrevivência.

Antes, o recife conseguia se recuperar da perda de corais provocada por danos ambientais, com a fecundação de larvas em regiões não atingidas, observou Morgan Pratchett, coautor do estudo.

“Mas as ondas de calor em 2016 e 2017 provocaram o branqueamento de corais em uma área de 1.500 quilômetros de extensão. A região ao sul do recife, menos atingida pela temperatura elevada da água do mar, está geograficamente muito distante para repor a perda dos corais, que não resistiram ao branqueamento”, acrescentou Pratchet.

“Os recifes de corais abrigam entre um quarto e um terço de todas as espécies marinhas durante uma parte do ciclo de vida delas”, disse John Veron, um dos maiores especialistas em recifes, à CNN.

“A extinção da Grande Barreira de Coral da Austrália resultaria em uma catástrofe ecológica, com consequências imprevisíveis para o meio ambiente”, observou Veron.

Leia também: Elevação de temperatura dos oceanos causa morte de corais

Leia também: Grande Barreira de Corais corre perigo

Fontes:
CNN-'Dead corals don't make babies': Great Barrier Reef losing its ability to recover from bleaching

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *