Início » Vida » Meio Ambiente » Meio ambiente online
Sustentabilidade

Meio ambiente online

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

É difícil falar em desenvolvimento tecnológico sem falar em meio ambiente. Enquanto a tecnologia se desenvolve, é preciso pensar na questão da sustentabilidade: como dar passos importantes sem comprometer as gerações futuras? O consumismo é outro conceito associado a esses temas: estaria na contramão da preservação ambiental, já que cada vez mais se percebe que o ser humano extrai da natureza mais recursos do que ela pode repor, e mais rapidamente do que ela é capaz de regenerá-los.

O interessante é que também a tecnologia permite que pensemos no meio ambiente de outra forma, e divulguemos informações associadas a ele, através da internet. Surgem cada vez mais blogs e sites sobre o tema, além de ferramentas pensadas para que os internautas ajudem na preservação ambiental. Semana passada, por exemplo, a Google divulgou sua PowerMeter, ferramenta que teria como objetivo ajudar os internautas a controlar o uso de energia. “Imagine como seria difícil você se manter dentro de um determinado orçamento numa loja que não colocasse preços nas mercadorias. Bem, é assim que você compra energia atualmente. A companhia envia a você uma conta no fim do mês com pouquíssimos detalhes. A maioria das pessoas não sabe qual a quantidade de energia que cada utensílio de sua casa gasta, onde em seus lares estão gastando mais energia ou quais as variações que a conta pode sofrer em diferentes estações do ano”, diz a empresa em seu blog.

Ainda no blog, a Google diz que o acesso a informações sobre o uso de energia em domicílios resulta em uma economia de 5 a 15% nas contas de luz mensais. “Pode não parecer muito, mas se a metade dos donos de residências americanos cortasse sua demanda por energia em 10%, isso equivaleria a tirar oito milhões de carros da rua”, complementa o post. Para ajudar os internautas a terem um controle maior sobre a energia que utilizam, a Google diz estar fazendo investimentos diversos, além da criação da ferramenta para uso doméstico. A empresa afirma querer “trazer a eletricidade dos anos 50 para a era digital”. A chamada PowerMeter permitiria que consumidores obtivessem informações em tempo real, a partir do momento que suas casas estivessem equipadas com “medidores inteligentes” da energia utilizada. O blog afirma inclusive que já há 40 milhões desses “medidores inteligentes” em uso em todo o mundo no momento, e que os planos são de adicionar outros 100 milhões nos próximos anos.

Também nos últimos meses a Globo.com veio com uma novidade focada nas queimadas e no desmatamento da Amazônia. O site escolheu o Orkut como aliado e criou o aplicativo Amazônia.vc, que permite que os internautas que fazem parte da rede social, a mais acessada do Brasil, confiram em tempo real as áreas que estão sendo queimadas ou destruídas na Amazônia e deixem registrado o seu protesto contra essa degradação. Os dados fornecidos aos usuários do aplicativo são do Inpe — Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

Os protestos escritos no Orkut através do aplicativo podem não ser um registro formal, mas demonstram preocupação das pessoas com o meio ambiente. A Globo.com, utilizando várias mídias em conjunto e demonstrando não ter receio de aumentar o tráfego do Orkut por uma boa causa, afirma que os protestos de internautas podem ser também transformados em reportagens para o programa Fantástico, da TV Globo, que é parceiro da Globo.com na criação e divulgação do aplicativo.

Ainda no Orkut, é possível trocar idéias sobre temas relacionados ao meio ambiente em geral e a temas mais específicos como mudanças climáticas, aquecimento global, reciclagem, preservação de espécies e energias renováveis. A comunidade “Meio Ambiente” tem mais de 190 mil participantes. Outra muito movimentada é a “Aquecimento Global”, com cerca de 36 mil pessoas. Nessas comunidades, são discutidos temas como a possibilidade de reverter o aquecimento global, o calor excessivo observado em determinadas regiões, as energias consideradas limpas e o que cada um pode fazer para contribuir com a preservação da natureza.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

12 Opiniões

  1. Fabio Leonel disse:

    Essa história de meio ambiente é um monte de frescura. Vamos derreter o Polo Norte, vamos derrubar a Floresta Amazônica e plantar muita soja, vamos drenar o Pantanal de Mato Grosso.

  2. Jonara Oliveira disse:

    A internet é um veiculo de comunicação fantástico para divulgar as causas ecológicas e adorei saber que o Google está trazendo estas novidades. Um site que me fez rever os conceitos foi o blog Voadeira / Bons Fluidos da jornalista Carol Costa. ( http://bonsfluidos.abril.com.br/blog_voadeira/experiencia/index.shtml?20080401_list_dia.shtml?80308 ). É ótimo quando o jornalismo traz informações que podem ser aplicadas para melhorar o nosso mundo.

  3. Hazel disse:

    Excelente matéria!!! A preocupação realmente é geral e merece a devida atenção de todos nós.

  4. Manuela disse:

    O comportamento no planeta me lembra os versos do grande Manuel Bandeira: cavalinhos correndo correndo e nós cavalões comendo, comendo.

  5. Liliani disse:

    Ainda tem muita gente ignorante, alienada e alhei aos problemas ambientais ainda, impressionante… E tem coragem de demonstrar isso…

    Ótima comparação Manuela!
    Muito bom artigo!

  6. Gilberto Figueiredo disse:

    É fundamental que empresas desse porte tomem esse tipo de atitude. Além de formadoras de opinião, especialmente entre os jovens, suas ações têm alcance em escala mundial. Criar e divulgar novas tecnologias que atuem a favor do meio ambiente é hoje uma atitute louvável. Espero que em breve, muito em breve, seja uma atitute padrão, curriqueira.
    Parabéns pela matéria.

  7. Roberta Nadalutti disse:

    Interessante que o consumismo tenha sido indicado como um fator agravante em relacao ao meio ambiente, no entanto, acredito que a questao mais importante seria o dano causado pelos residuos nocivos da atividade industrial do que a questao do esgotamento dos recursos naturais. Como a poluicao nao e vista como uma responsabilidade das empresas por nao gerar nenhum custo ao processo produtivo, salvo nos casos onde ja existe uma legislacao punitiva em relacao aos efeitos ambientais dos residuos, ainda seria mais importante pensar na questao do limite de emissoes de gases nocivos ao efeito estufa, da producao de lixo e em todos os elementos que o homem lanca ao meio ambiente e que o planeta precisa processar.

    Parabens pelo artigo, as informacoes sobre as ferramentas do Orkut e o Google sao interessantes.

  8. astoufo disse:

    O mundo é uma bomba relojo e esta programada para 2012.

  9. carolina disse:

    se tem tanta poluição porque ,há tanta comemorações com fogos de artificios ?

  10. carolina disse:

    um pouco de muitos ajuda o nosso planeta
    conhece aquele bichinho pequeninho com o nome de cupim ?
    eles se unem e é capas de derrubar um telhado
    a união faz a força

  11. carolina disse:

    A prefeitura deveria exigir dos proprietarios que tem um bueiro na calçada, um ralo ,se a pessoa consegue fazer uma casa não custa nada colocar um ralo ,para segurar as coisas que as pessoas jogam na rua
    é melhor previnir

  12. katrina disse:

    Sem falar da poluição que convivemos diariamente, pois as fumaças que os carros soltam, e indústrias colaboram para que os índices da poluição só aumentem.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *