Início » Internacional » Morre Sudan, o último rinoceronte-branco do norte macho
RISCO DE EXTINÇÃO

Morre Sudan, o último rinoceronte-branco do norte macho

Agora, a subespécie de rinoceronte-branco depende de técnicas de fertilização assistida para ser salva da extinção

Morre Sudan, o último rinoceronte-branco do norte macho
Com a morte de Sudan, apenas duas espécimes fêmeas seguem vivas (Foto: Ol Pejeta Conservancy)

O último espécime macho do rinoceronte-branco do norte morreu na última segunda-feira, 19, no Quênia, aos 45 anos. O rinoceronte-branco do norte é uma das duas subespécies derivadas do rinoceronte branco. A outra é o rinoceronte branco do sul.

Sudan, como era chamado por ter nascido no Sudão do Sul, foi sacrificado pela equipe veterinária do Ol Pejeta Conservancy, reserva natural onde vivia, após sua saúde piorar no último final de semana, devido ao processo degenerativo em músculos e ossos por causa da idade avançada.

“Nós em Ol Pejeta ficamos todos entristecidos com a morte do Sudan. Ele foi um grande embaixador para sua espécie e será lembrado pelo trabalho que fez para aumentar a conscientização global da situação que enfrentam não só os rinocerontes, como também as milhares de outras espécies ameaçadas de extinção como resultado da atividade humana”, afirmou Richard Vigne, CEO do Ol Pejeta, através de uma nota.

Agora, a subespécie, que corre grande risco de extinção, conta apenas com duas fêmeas, Najin e Fatu, filha e neta de Sudan, respectivamente. Para tentar salvar a subespécie, os cientistas, que recolheram o material genético do rinoceronte antes de ele ser sacrificado, apostarão no desenvolvimento de técnicas de fertilização in vitro (FIV). Para isso, serão usadas as duas fêmeas restantes, sêmen de rinoceronte-branco do norte armazenado e, caso necessário, fêmeas de rinocerontes-brancos do sul como substitutas.

“O Sudan foi o último rinoceronte-branco do norte que nasceu na natureza. Sua morte é um símbolo cruel do desrespeito humano pela natureza e entristeceu todos os que o conheceram. Mas não devemos desistir. Devemos aproveitar a situação única em que as tecnologias celulares são utilizadas para a conservação de espécies criticamente ameaçadas de extinção. Pode parecer inacreditável, mas graças às técnicas recém-desenvolvidas, mesmo o Sudan ainda pode ter filhos”, disse Jan Stejskal, diretor de projetos internacionais do zoológico, Dvůr Králové, através de um comunicado.

No entanto, o custo estimado da fertilização in vitro – desde o desenvolvimento do método até a criação de um rebanho de criação de rinocerontes-brancos do norte – é muito alto, podendo chegar à US$ 9 milhões. Por isso, o Ol Pejeta e o zoológico Dvůr Králové lançaram uma campanha para tentar levantar os fundos necessários para salvar a espécie. Para doar, basta acessar o site de doações neste link.

Histórico

Quando Sudan nasceu, existiam quase 700 exemplares de sua subespécie vivos. Porém, os conflitos no Sudão e em outras localidades da África, entre os anos 1970 e 1980, estimularam a caça ilegal do animal, que tiveram o número reduzido drasticamente. Enquanto isso, Sudan, aos três anos, foi enviado para o zoológico Dvůr Králové, na República Tcheca.

Anos mais tarde, em 2009, os últimos quatro rinocerontes-brancos do norte – dois machos e duas fêmeas – foram transferidos para o Ol Pejeta na esperança de que pudessem se reproduzir. Para isso, foram colocados sob escolta armada, para não sofrerem com a agressividade humana. Porém, mesmo com o acasalamento, não houve reprodução.

Em 2014, o Ol Pejeta também tentou reproduzir as fêmeas do norte com um macho branco do sul, desejando manter alguns genes da espécie original. Porém, não houve reprodução. Piorando ainda mais a situação, Suni, o outro rinoceronte-branco do norte macho, morreu, reduzindo as chances de salvar a subespécie da extinção.

Perfil no Tinder

Como parte de uma campanha para arrecadar fundos para técnicas de fertilização assistida, Sudan ganhou, em 2017, um perfil no Tinder que poderia ser visto por qualquer usuário do aplicativo de namoro do mundo. Caso desse “like”, o usuário receberia maiores informações sobre a iniciativa e seriam orientados sobre como doar.

Fontes:
Independent-Sudan: The last male northern white rhino and a symbol of endangered species conservation
The Guardian-Last male northern white rhino is put down
G1-Último macho de rinoceronte-branco do norte ganha perfil no Tinder

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Markut disse:

    Mesmo diante de um evento como este, se patenteia o espírito predador do ser humano.
    Não é descabida a afirmação de Stephen Hawkind, de que nos restam cerca de 600 anos de sobrevivência na Terra.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *