Início » Internacional » Noruega se recusa a explorar bilhões de barris de petróleo
MEIO AMBIENTE

Noruega se recusa a explorar bilhões de barris de petróleo

Maioria parlamentar se posiciona contra a exploração de petróleo em região no Ártico, desapontando a indústria petrolífera do país

Noruega se recusa a explorar bilhões de barris de petróleo
Acredita-se que haja entre 1 bilhão e 3 bilhões de barris de petróleo na região (Foto: Equinor/Facebook)

O maior partido do parlamento da Noruega, o Partido Trabalhista, desferiu um golpe significativo na enorme indústria petrolífera do país, depois de retirar o apoio à perfuração exploratória das ilhas Lofoten, no Ártico, consideradas uma maravilha natural.

O movimento, pelo Partido Trabalhista da oposição, cria uma grande maioria parlamentar contra a exploração de petróleo na área costeira sensível, ilustrando a crescente oposição ao combustível fóssil poluente, que fez do país um dos mais ricos do mundo. Atualmente, o país bombeia mais de 1,6 milhão de barris de petróleo por dia de suas operações no exterior.

A maior produtora de petróleo da Noruega, a estatal Equinor ASA, disse que o acesso ao fornecimento de petróleo em Lofoten é essencial para o país manter os níveis de produção. Acredita-se que haja entre 1 bilhão e 3 bilhões de barris de petróleo abaixo do fundo do mar no arquipélago de Lofoten. A área já havia sido mantida fora dos limites por anos pelo governo de coalizão da Noruega por meio de vários acordos políticos.

“Toda a indústria está surpresa e desapontada”, disse à Bloomberg Karl Eirik Schjott-Pedersen, chefe da Associação Norueguesa de Petróleo e Gás. “Não fornece a previsibilidade da qual dependemos”.  

A oposição trabalhista, anunciada por seu líder, Jonas Gahr Store, expõe uma brecha no partido enquanto a liderança tenta refletir as crescentes preocupações ambientais da população, ao mesmo tempo em que visa apoiar os sindicatos de trabalhadores na indústria petrolífera, que têm sido os principais apoiadores do setor.

Store disse que seu partido continuará a apoiar a indústria petrolífera, mas também disse que quer que as empresas petrolíferas do país se comprometam com um prazo para tornar todas as operações livres de emissões.

O maior sindicato de petróleo da Noruega, a Industry Energy, que há muito tempo é aliada do Partido Trabalhista, atacou a nova postura do partido sobre a perfuração em Lofoten, que ocorre menos de dois anos depois de um acordo interno sobre o assunto.

“Isso cria desequilíbrios nas discussões políticas para uma indústria que depende de uma perspectiva de longo prazo e não podemos aceitar isso”, disse Frode Alfheim, líder do sindicato, ao Sydney Morning Herald.

A medida acontece dias depois que o governo da Noruega deu sinal verde para o seu fundo petrolífero de US$ 1 trilhão – o maior fundo soberano do mundo – para investir em projetos de energia renovável não listados nos mercados de ações.

Espera-se que bilhões sejam gastos em projetos de energia eólica e solar. É a mais recente indicação de que a riqueza acumulada através de combustíveis fósseis está sendo redirecionada para lucros futuros em energia renovável. Um número maior de indústrias e países iniciaram estratégias de desinvestimento de combustíveis fósseis, citando riscos futuros para seus negócios e modelos econômicos.

Leia também: Noruega planeja abandonar empresas de petróleo e gás

Leia também: Noruega aprova proposta de mina de cobre no Ártico

Fontes:
Independent-Norway refuses to drill for billions of barrels of oil in Arctic, leaving ‘whole industry surprised and disappointed’

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *