Início » Vida » Meio Ambiente » Para conter derrubada, governo embarga propriedades
Amazônia

Para conter derrubada, governo embarga propriedades

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Ministério do Meio Ambiente anunciou que nos 36 municípios da Amazônia com maiores índices de desmatamento estão proibidas emissões de novas autorizações de derrubada da mata, e que o embargo de propriedades em que ocorreram desmatamentos ilegais será obrigatório.

O secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, João Paulo Capobianco, assegurou que o desmatamento recorde registrado em novembro e dezembro é "localizado" e que o sistema de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) permite o acompanhamento em tempo real justamente para verificar esses episódios e "impedir que tendências isoladas permaneçam".

Fontes:
O Estado de S. Paulo - Governo proíbe derrubada de mata em 36 cidades da Amazônia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Markut disse:

    Nada disso terá eficiência, enquanto predominar, como predomina, a cultura da leniência e da corrupção desmedida.
    O governo continua com a sua estratégia de correr atrás do prejuizzo imediato, sem ser capaz de enxergar a questão de forma mais ampla e projetada para o futuro,através de uma escolaridade competente,que poderia contribuir para reduzir o índice de imoralidade e de falta de espírito cívico, que hoje prevalece.

  2. Ademir disse:

    Simplesmente PERFEITA, a opinião do Markut! Falta escolaridade e civismo a este povo! Mas… o que fazer(?), se o próprio presidente diz: "não gosto de ler, porque esta é uma atividade cansativa"????

  3. Rodnry Taboada disse:

    Bastaria apenas uma medida, provisória ou definitiva,:A proibiçaõ da exportação de madeira bruta.associada´`a pena de morte a quem puser fogo na mata.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *