Início » Vida » Meio Ambiente » Rio de Janeiro é considerado a capital nacional da bicicleta
Meio Ambiente

Rio de Janeiro é considerado a capital nacional da bicicleta

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Uma frota de aproximadamente quatro milhões de bicicletas, que corresponde ao dobro do número de carros. Um milhão e duzentas mil bicicletas circulando dentro da cidade. Cento e cinqüenta quilômetros de malha cicloviária. O Rio de Janeiro é considerado a capital nacional da bicicleta e não é para menos. É a cidade do Brasil que mais promove o seu uso, que dispõe de mais bicicletários e que disponibiliza mais legislações específicas para os ciclistas e suas "magrelas".

Esses dados foram fornecidos por José Lobo, presidente da Transporte Ativo, organização não-governamental que tem por objetivo difundir a cultura dos veículos a propulsão humana, como bicicletas, patins, skates e patinetes, como meios de transporte alternativos aos carros e ônibus.

De acordo com José Lobo, a bicicleta é a maneira mais eficiente de se locomover pela cidade. Não contribui para a poluição atmosférica nem sonora. Os automóveis são responsáveis por mais de 50% das emissões de poluentes nas cidades, já a bicicleta não emite nenhum tipo de poluente atmosférico. Além disso, ela reduz os engarrafamentos, os gastos com combustível, dá mais fluidez ao tráfego — o que favorece os meios de transporte públicos –, ocupa uma área menor que a de um carro — o que facilita o deslocamento e estacionamento — e ainda melhora a qualidade de vida e saúde do ciclista, que ao se locomover pela cidade, também se exercita. Metade dos transportes motorizados efetua percursos inferiores a cinco quilômetros, distâncias consideradas curtas e que poderiam ser percorridas de bicicleta.

No bairro de Santa Cruz, zona oeste do Rio, 8% das viagens são feitas de bicicleta. É o maior movimento de ciclistas na cidade, comparável ao de algumas cidades européias. Porém, na opinião de José Lobo, esse grande volume se dá devido ao baixo poder aquisitivo da população do bairro. "Na hora que o morador do bairro começar a ganhar mais dinheiro, ele vai comprar uma moto ou um carro. Ainda falta a conscientização da importância do uso da bicicleta por lá".

Em outras regiões da cidade, a bicicleta é usada principalmente como lazer ou esporte. José Lobo cita a popularidade entre os jovens que ainda não possuem licença para dirigir. Outro público que merece atenção é o das mulheres, que vem crescendo, de acordo com o presidente da Transporte Ativo. "Está crescendo também o número de ciclistas que, assim como eu, não agüentam mais ficar presos em engarrafamento e começam a usar a bicicleta como solução. Vendi o meu carro e uso somente transporte público. E a minha bicicleta, claro". Ele destaca ainda o aumento da conscientização ecológica entre os cariocas, o que incentiva o uso da bicicleta.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. João Paulo Saboia disse:

    Legal a reportagem. Um dado que achei bem interessante: "Metade dos transportes motorizados efetua percursos inferiores a cinco quilômetros". De bicicleta, a 20 km isso representa 15 minutos de pedalada a CUSTO ZERO. Realmente não consigo entender porque tantas pessoas não se convencem de que usar a bicicleta da cidade pode ser a melhor opção em vários casos.

  2. Samir disse:

    Só não gostei das associações feitas da bicicleta com o baixo poder aquisitivo e o esporte e o lazer. Gasto por mês com minha bicicleta bem mais do que se gastaria com transporte coletivo. Tudo pela agilidade no trânsito, com bônus em saúde. Moro em São Paulo, cidade que possui poucas ciclovias para lazer e nenhuma para deslocamentos. Conheço alguns exemplos de ciclovias que funcionam, como as das cidades litorâneas, e lamento muito que os governantes daqui ainda invistam em pontes estaiadas.

  3. Patricia Stagi disse:

    Relamente falta a conscientização da população que prefere transportes convencionais aos ecologicamente corretos. A repórter foi muito feliz ao promover o uso de bicicletas.
    Parabens!

  4. Dulce disse:

    Achei bem interesante, essa nova mudança na cidade do Rio de Janeiro. Pois é um bem para todos na cidade! polui menos e fica bem mais facil de trafegar! uma reportagem muito boa!

    Parabéns a todos!!!

  5. sophia daibert disse:

    adorei a matéria, principalmente por ter sido escrita pela grande jornalista paula daibert.Se ela não é grande jornalista tenho certeza que um dia vai ser, parabéns paula, estamos torcendo por voce…

  6. Frederico Daibert disse:

    É isso aí Paula, tem que se divulgar e promover mais o uso da bicicleta, só trás benefícios, tanto para o ambiente como para o usuário. Como também distribuir mais os locais que tem ciclovias, como no centro e na zona norte. Parabéns pela reportagem e parabéns para o Rio.

  7. José Ricardo Borrás disse:

    Bicicleta foi uma das
    maiores ivenção até hoje.
    Espero que todos cidades brasileira aceite o projeto.
    Parabéns
    José Ricardo Borrás – Goiânia-Goiás(Campeão de Bricicross)

  8. markus disse:

    o RJ é ideal para o uso da bicicleta. carro de passeio é para passeio (obvio) ciclovias já !!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *