Início » Vida » Meio Ambiente » Santa Catarina foi mesmo vítima do aquecimento global?
De Kyoto a Itajaí

Santa Catarina foi mesmo vítima do aquecimento global?

Quando ainda era 49 o número de mortos contabilizados no Vale do Itajaí em virtude das chuvas que caíram na região, o governador Luiz Henrique da Silveira decretou: “Se alguém duvida que o mundo está passando por mudanças climáticas devido ao aquecimento global, que venha a Santa Catarina e veja as cidades tomadas pelas águas”.

Vossa excelência não foi o único que se apressou em identificar no efeito estufa a origem da tragédia que se abateu sobre os catarinenses. Houve gente mais qualificada fazendo o mesmo. Abundaram os meteorologistas e especialistas de áreas similares apontando o dedo não se sabe muito bem para quem, ou para onde, mas certamente pensando no aquecimento global como nosso atual inimigo público número um.

Os mais céticos, ou talvez mais prudentes, fizeram a ressalva de que é preciso verificar cientificamente se o que aconteceu no Vale do Itajaí foi diretamente causado pelo aumento da temperatura média dos oceanos e do ar próximo à superfície da Terra.

A dúvida é bem-vinda, para espantar o risco de desinformação. Até porque, o estado de Santa Catarina já foi castigado pelas chuvas de forma dramática em pelo menos três outras ocasiões só nas décadas mais recentes: em 1974, 1983 e 1995.

Sim, o aquecimento global já é um fenômeno de meia-idade, que vem sendo observado nos últimos 50 anos. Mas a pulga atrás da orelha é a estranha sensação de que, a partir de um certo momento, as catástrofes naturais que existem desde que o mundo é mundo passaram a ser atribuídas, todas, à hipótese de o planeta estar à beira da ebulição.

Na Itália, enquanto Santa Catarina ainda contava seus mortos, Veneza ficou debaixo de um metro e meio de água. O Mar Adriático subiu como não subia há 22 anos.

Há séculos Veneza sofre com inundações periódicas, tendo em vista que a cidade foi erguida sobre ilhas pantanosas, longe de ser exatamente terra firme. Mas, mesmo assim, a imagem da Praça São Marcos feito uma imensa piscina esquentou ainda mais — sem trocadilho — o debate sobre o aquecimento global, isto no momento em que acontece a conferência de Poznan, na Polônia, de onde a ONU espera tirar da cartola algo que substitua o protoloco de Kyoto, que expira em 2012.

Aliás, o planeta parece estar esquentando por caminhos tortos. Em maio do ano passado, na Região Serrana do próprio estado de Santa Catarina, os habitantes da pequena cidade de Urupema viram a bela cachoeira do morro congelar duas vezes. Nos dias daquele outono, o retrasado, a vizinha São Joaquim registrou as menores temperaturas de maio desde o longínquo ano de 1968. Vai entender.
    
Caro leitor,
Você acha que é precipitado atribuir a tragédia que se abateu sobre Santa Catarina ao aquecimento global?

Considera que, em geral, está havendo alarmismo quanto às alterações climáticas?

O governo federal executou apenas 13% do orçamento para prevenção e preparação para desastres. Você acha que isto foi determinante para as conseqüências das chuvas no Vale do Itajaí?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

30 Opiniões

  1. valquiria disse:

    Eu que sim não precisa ser especialista em nada pra perceber, tudo isso foi por causa do aquecimento global… e infelismente as pessoas só se precupa quando a coisa ta feia.

  2. karolyne disse:

    eu acho que sim , santa catarina foi a+ afetada pelo aquecimento global…

  3. alexandra lima disse:

    sim

  4. vera lucia disse:

    Acho que não é preciso em ser especialista em nada para perceber que demoraram muito a tomar providências; se a chuva já decorrera há 3 meses, não é preciso ser meteorologista nem nada para tomarem precauções; como sempre no Brasil , espera-se primeiro a TRAGEDIA para depois agirem…SOS

  5. Markut disse:

    Santa Catarina, São Paulo, Cubatão. Rio de Janeiro, Espírito Santo, etc., etc., são todas mortes anunciadas. A geologia de Engenharia há muito conhece o problema e conhece as soluções.
    O que acontece é que a desidia, o desinteresse, a falta de um mínimo de sentimento cívico dos nossos homens públicos faz com que prefiram , toda vez que acontece a tragédia, encenar um teatro assitencialista, eleiçoeiro que, esse sim, dá votos.
    Enquanto nós , a sociedade, não soubermos eleger adequadamente os nossos representantes,que exploram devidamente a desinformação e a ignorância do curral eleitoral, vamos ter esses acontecimentos se repetindo, periodica e inexoravelmente.

  6. Jorge Roriz disse:

    É inegável que a medida que aumenta o aquecimento global, os efeitos da poluição, danos a natureza, e tragédias climáticas vão se tornar mais frequente, porém, a causa da tragédia de Santa Catarina não foi apenas efeito da natureza. Pessoas constroem casas em locais inadequados, em terenos condenados, sobre a complacência das nossas autoridades.
    A defesa civil dos Estados brasileiros apenas atuam após as tragédias terem ocorrido, quando deveriam fazer ações preventivas. O que ocorreu em Santa Catarina era previsivel e evitado. O não uso do governo de qause 90% das verbas disponíveis, prova que que a tragédia de Santa Catarina como outras que ocorrem no país tem a incompetência e a omissão das autoridades como aliadas.

  7. Heloisa disse:

    Responderia sim à tres perguntas acima.

  8. Guilherme Barros disse:

    Independente de Santa Catarina ser palco de discussões do tão mencionado aquecimento global, deve-se ressaltar a qualidade do solo no Vale do Itajaí, que apresenta características pantanosas. Por outro lado, o estado vem sofrendo com as conseqüências do aumento da temperatura há algum tempo. Exemplo disso foi o tornado que passou por lá, no começo de 2007

  9. Emilio Mendonça disse:

    Não há comprovação científica de que o ocorrido em Santa Catarina se deveu ao aquecimento global.
    No entanto, se trabalharmos com dados, perceberemos que a ocorrência de catástrofes naturais é significativamente maior do que na década passada.
    Tais dados permitem nos dar um indicativos de que as referias ocorrências se devem sim às mudanças climáticas.
    Não podemos nos omitir perante essa problemática, uma vez que o que está em jogo é a própria sobrevivência da raça humana.
    Não se trata exatamente de atribuirmos culpa ao governo ou mesmo a Deus, devemos nos conscientizar de que todos temos parcela de responsabilidade no que diz respeito às questões ambientais.
    Nós, homens, inventamos máquinas e tecnologias visando conforto, devemos usar da mesma criatividade para garantirmos nossa sobrevivência.

  10. Paulo Campos disse:

    Apreendemos, nas primeiras lições de geografia do antigo ensino de Primeiro Grau, que a terra, em morros e encostas, é fixada pelas árvores, mais internamente pelas suas raízes, existindo ainda a cobertura vegetal de pequeno porte que fica sob estas.

    A destruição das matas ciliares e das vastas coberturas florestais das montanhas de Santa Catarina, cobra o seu preço agora. Devastar a cobertura vegetal de morros é deixar aquela terra mais vulnerável às intempéries da natureza. Não somente o grande emaranhado de árvores que serviriam para amenizar o ataque da chuva no solo, mas também os pequenos arbustos que amenizam em muito a queda da água. A grande quantidade pluviométrica descarregada naquela região, seria naturalmente absorvida pelo solo, e o excesso seria encaminhado aos escoadouros naturais: córregos, ribeirões, rios e daí em frente.

    Variadas pesquisas e estudos realizados por universidades e institutos, atestam a importância de uma cobertura vegetal adequada. De um desmatamento criminoso, ao reflorestamento inadequado de uma área, é o mesmo que nada. Sem base científica e conhecimento técnico adequado para ser aplicado em áreas de risco, o processo de recuperação daquela área torna-se ineficaz.

    Instabilidades climáticas desse porte, com uma quantidade expressiva de chuva, ou da falta dela, é apenas uma conseqüência. Todo o processo de aumento da temperatura da Terra, é provocado pela desenfreada emissão de carbono na atmosfera, ao qual retém calor, provocando anormalidades climáticas em todo o globo. As pesquisas já citadas, comprovam que somente tem o declínio ou a estabilidade deste aumento de temperatura, fazendo a "captura" de carbono. Este processo é feito em sua grande parte pelas florestas, pelas árvores.

    Em toda esta situação de calamidade, o homem, em sua grande capacidade de solidaridade, não foi o mesmo "capaz", em momentos anteriores, de realizar as devidas políticas públicas de assistência e, se o fez, realizou da forma amadora, não se valendo de conhecimento, de ajuda técnica especializada.

    O aquecimento global não foi o culpado da calalmidade em Santa Catarina, mas a conseqüência. A irresponsabilidade econômica, social e moral do homem, esta tríade sim, a causa.

  11. Benedito Lacerda disse:

    Não faz sentido ficar falando mal do governo. Falem mal de deus, os que crêem nele, ou da natureza, que fez chover. E das pessoas que constroem suas casas em áreas de risco.

  12. Pedro Reis disse:

    Deslinearizar a discussão, deveria ser nossa palavra de ordem. As questões climáticas, econômicas, políticas, sociológicas e tudo o mais, não podem ser discutidas sob a ótica linear na base do "isso é por causa daquilo" e vice-versa. Uma revisão de conceitos só pode ser alcançada a partir de cada indivíduo. As cidades alagaram por que choveu ou o espaço natural do rio não foi respeitado quando se construiu e por isso alagaram.
    Aqui onde eu moro uma das principais avendias era no passado um córrego de médio porte que foi canalizado e transformado em avenida e quando chove sabe o que acontece? Os afluentes que hoje são ruas, alagam a avenida. Os costumes e crenças em especial as de engenharia de 30 ou 50 anos atrás, não valem mais hoje. A culpa, se é que podemos chamar assim é da visão curta e imediatista que não respeita relêvo, características geológicas.
    Um rio nem sempre é um rio, uma várzea nem sempre é uma várzea, um ciclo de estações, pode não durar infinitamente, um vulcão adormecido pode entrar em erupção, um chão que nunca tremeu pode tremer um dia como aconteceu em Itacarambi, norte de Minas.
    Nem tudo que reluz é ouro, nem tudo que balança cai, já dizia a velha máxima.

  13. Celso Rodrigo Branicio disse:

    Eu acredito que a tragédia que se abateu sobre Santa Catarina tem ligação sim com o aquecimento global, mas o problema não pode ser ligado apenas a este fato e em parte esta havendo sim alarmismo, o que houve na verdade foi omissão por parte do governo federal e estadual de Santa Catarina, pois, problemas semelhantes já ocorreram nas últimas três décadas e muito pouco se fez para resolver o problema.

    O projeto que iria resolver o problema não se concretizou nem na metade, a população continua vivendo em área de risco de forma irresponsável e o governo não fiscaliza e nem tenta resolver este problema social de falta de moradia, sem contar que as casas são feitas geralmente de madeira devido ao fato de grande parte da população ser de origem européia onde se tem este costume cultural de construir casas desta forma e não de alvenaria que pelo menos teria poupado algumas vidas e vítimas.

    O correto seria terem feito as obras para prevenir futuras enchentes e isolar estas áreas que naturalmente jamais deveriam ter sido ocupadas, toda agressão a natureza tem um preço, sem contar o fato desta região ficar próxima ao mar entrada constante das frentes frias oriundas da Antártida e Argentina, com tudo isto e a incompetência do poder público em cumprir com seu dever só poderia dar nisto, e é muito cômodo ficar culpando a natureza e os desmandos da população da terra, e se omitir quanto a solução regional do problema, afinal cada um de nós tem de fazer sua parte, que neste caso não foi feita.

  14. Alcides D. Ramos disse:

    O planeta está em constante mudança! Não temos que achar o culpado das desgraças que acontecem em nosso planeta! Também nós, seres humanos, estamos em constante mutação! É o ciclo da vida, do homem, do planeta!

  15. Carmen Sueli disse:

    Por ser o aquecimento Global o grande vilão, afinal temos que achar o culpado, mas graças ao ser humano temos o aquecimento Global, se pensarmos no que realmente fazemos com a natureza veremos que o vilão da historia somos nós mesmos que contribuimos para estas catastrofes pois não pensamos ao desatruir a natureza no mal que fazemos a nós mesmos.

  16. Marcelo de Andrade disse:

    Mais uma vez no Brasil, vemos uma caça às bruxas atrás sempre de um culpado(nesse caso aquecimento global), sempre depois da tragédia…
    Por que será que o culpado é sempre o "sobrenatural, ou o invísivel", sempre temos que achar um culpado.
    Não digo só em SC,mas em todo o mundo, o homem tem grande parte nos desastres ambientais, o que ele fez a natureza agora volta-se para si. Os goverantes têm sua parcela(e grande) de culpa, anos e anos de descaso para com a população resultou nisso.
    Enfim que na caça aos culpados possam encontrar os verdadeiros CULPADOS.
    Por último, se essa chuva chegar a São Paulo, coitadinho dos paulistanos!!!

    Marcelo

  17. Pedro Tavares disse:

    O governo ter executado apenas 13% do orçamento para catastrofes foi determinante para o que aconteceu no Vale do Itajai seja ou não obra do aquecimento global.

  18. Alan disse:

    Uma vez que nos falta um conhecimento mais aprofundado sobre o assunto, para que possamos ter uma visao mais ampla,é sim precipitado. Mas, na nossa maioria sabemos que o aquecimento global tem uma parcela de culpa nos acontecimento catastrófico desses ultimo dias,pelo menos é o que aprendemos com a midia e nas escolas.
    Enquanto não se tem uma prova ciêntifica concreta com dados confiantes do que realmete ocasionou essa tragédia, é de fato alarmismo.
    De maneira alguma. o valor cotado para suprir os consequencia é de pouca quantia em relação aos danos ali ocasionado.

    Alan Vitor P. Alves

  19. Filipe Vargas disse:

    Dificilmente uma tragédia ocorre apenas por causa de um único motivo. Acredito ser um conjunto de fatores que colaboraram para que ocorressem os desastres em Santa Catarina. Os fatores são os seguintes:
    – Desmatamento: a vegetação serve com uma "esponja", absorvendo e infiltrando no solo a água da chuva e controlando as enxurradas;
    – Ocupação desordenada: construções sem qualquer planejamento de ocupação do solo, em locais de risco onde o solo é naturalmente instável;
    – Chuva acima do normal: choveu muito acima da média para a região;
    Penso que foram estes, os principais fatores que, juntos ocasionaram o que vimos no Vale do Itajaí.

  20. Giovanni disse:

    Não acho que seja precipitado afirmar que o ocorrido em Santa Catarina seja um efeito do aquecimento global. Reparei que este ano, as chuvas em Belo Horizonte vieram com um mês de atraso e choveu muito pouco em relação a outros anos nos mêses de Outubro e Novembro. O que comprova também que este "Alarmismo" não é de forma alguma exagero. Precisa-se de mudanças rápidas de hábito para que daqui a dez anos o mundo já não seja mais o mesmo. Existiam sim estas catástrofes no plante há milhares de anos, mas elas não ocorriam com a frequência que ocorrem hoje. Nem mesmo nos lugaresm em que tem ocorrido ou com a força e impacto atuais. O Mundo está a beira de um colapso e muitos não querem enxergar isso.

  21. ROSANGELA FRIEDRICH CAMARA disse:

    Não sei se podemos atribuir ao aquecimento global a causa da tragédia em Santa Catarina, principalmente porque tenho a sensação de que nem tudo nos é informado a respeito das pesquisas sobre o assunto. Como sempre, só somos informados em doses homeopáticas, principalmente quando o tema envolve política e grandes potências. Sabemos que o maior poluidor do planeta não assinou o Protocolo de Kyoto, sabemos que sem a Amazônia os americanos morreriam de calor, sabemos que esta mesma Amazônia está sendo praticamente “invadida” por pesquisadores americanos e europeus, mas não podemos afirmar que o aquecimento global seja a causa de tragédias como a de Santa Catarina, porque nos falta conhecimento que, provavelmente, “alguém” já tenha.
    As inundações, catástrofes naturais, furacões, temperaturas muito elevadas ou muito baixas, sempre ocorreram. O que me parece é que agora temos mais acesso a informações devido a globalização, embora fique claro pelo aumento de porcentagem destes fenômenos, que algo diferente está acontecendo. É preciso que tenhamos mais acesso a informações com dados científicos confiáveis para podermos concluir se está ou não havendo alarmismo.
    Acredito que o governo fez o planejamento para este orçamento, baseado em dados anteriores e não poderia prever o que aconteceu (pelo menos em tese). Porém, sabendo a dimensão de um país como o nosso, 13% é realmente uma quantia irrisória, se levarmos em conta a extensão da catástrofe e o quanto se gasta com salários dos Ministros da Infra-estrutura, Planejamento, Interior, etc. A má distribuição já começa por aí, não é?

  22. Sandra disse:

    Não acho prudente sempre colocar a culpa em aquecimento global, pois toda culpa atribuída tira o peso de outros fatores responsáveis por alguns desastres. Portanto o que ajuda no desastre específico são imprudências do ser humano que constroem suas casas em morros ou pé dos morros onde os deslizamentos ocorreram, bem como a quantidad de lixo que poderia ser evitada com um tratamento de reciclagem por exemplo. A educação sempre é bem vinda, nesses casos a ausência do governo Estadual em um empenho mais duro e eficaz também pode-se elevar o nível de culpa, a desinformação já não vejo como fator de culpa pois hoje os acessos as informações são tantas que nao faz juz a essa desculpa.
    Protanto creio que a culpa seja atribuída aos moradores incapacitados de aceitar regras de habitação e limpeza, bem como do governo estadual numa campanha massissa para despertar uma nova tendência de eduação.

  23. Mayara disse:

    O aquecimento global não é fato novo. Já se tinha conhecimento disso há bastante tempo atrás. Ele é o resultado gradativo da Industrialização desenfreado iniciada em fins do Século XVIII na Inglaterra e que se propagou de forma desajustada nos países subdesenvolvidos, gerando graves desajustes econômicos, sociais e agora como sabemos, ambientais. Santa Catarina teve infelizmente uma repercussão da tragédia que o mundo ira sofrer futuramente. Não só SC, mas vários outros Estados estão já estão passando por problemas ambientais.
    Tudo isso é apenas fruto do que vem sendo plantado há muito tempo. E se a população não se conscientizar teremos conseqüências muito piores.

  24. Victor Ghering disse:

    Na medida em que a culpa recai sobre a farsa do "aquecimento global" deixa-se de considerar as verdadeiras causas da catástrofe (ocupação desmedida em áreas de risco, desmatamento e florestamento com espécies exóticas em uma geográfia impar). O planeta está resfriando nos últimos 8 anos e o que aconteceu aqui foi um choque muito grande de temperatura fria (da terra) com quente (do mar). Os "aquecimentistas" só querem verbas, notoriedade e cadeiras no IPCC. Apenas isto. Só falta aparecer alguém aqui dizendo de novo que Santa Catarina deve esquecer as maçãs e plantar bananas na região centro-sul… Abaixo os alarmistas-terroristas climáticos! Abaixo a manipulação e viva a educação!!!

    Victor Ghering

  25. Paula Tischer disse:

    de Itajai-SC

    Ao meu ver o aquecimento global ter sua parcela de influencia, alterando o clima e intensificando o volume das chuvas. Porem a falta de planejamento e compromisso social das prefeituras com a populacao do Vale do Itajai é ainda mais responsavel. A populacao sofre sequencialmente com as enchentes e a cada ano preve que o drama pode se repetir. Compromisso, respeito e planejamento é parte da solucao para que isso nao se repita dessa forma. Isso é previsivel!!

  26. Ricardo Lima disse:

    a população ainda não está consciente sobre o Aquecimento Global. Poucas pessoas sabem o que o aquecimento global causa e quais são as suas consequencias. Pela geografia do lugar fica dificil dizer que foi graças a isso, mas com certeza teve ajuda em grande parte. Essa tragédia que aconteceu em Santa Catarina, nós vemos constantemente acontecer em são Paulo, o diferencial é que em São Paulo a geografia do lugar não é entre morros e isso não faz com que cidades inteiras sejam atingidas. É inegável que o problema não é só a natureza, mas como o dinheiro está sendo utilizado nessas áreas. E as verbas federais e estaduais? pra onde vão?

  27. Renato Benetti disse:

    Além da falta de planejamento das construções e investimento preventivo, devemos observar que o solo é arenoso o que facilita o desabamento, o que causou muitas mortes por soterramento em casas próximas a morros, inclusive serviu como bloqueio para vazão das águas, porém a catástrofe foi causada pelas chuvas forte desta época do ano o que tende a piorar com o aquecimento global.
    Não há de forma nenhuma alarmismo quanto o aquecimento global, o que há é sim um descaso quanto à questão, e sendo global deveríamos tomar atitudes aqui e no mundo para minimizar tal situação o que em verdade não é feito, dão se umas pinceladas mostram-se preocupados e os problemas apontados para a manutenção do clima continuam.
    É lógico que se os Governos Federais, Estaduais e Municipais tivessem investido em prevenção o fato seria minimizado e com menos vítimas, porém a inundação fatalmente aconteceria, não podemos apontar dedos para justificar, ou causar sensacionalismo em uma situação que sabemos foi ocasionado por uma chuva muito forte onde o escoamento era impossível.Quanto aos Governos, eles devem parar de políticas que geram votos escondendo os problemas debaixo do tapete, não se preocupam, e nessas situações procuram justificar seus erros, mas o fato é que também não os fiscalizamos. Nunca vi aqui no Brasil depois de um fato como este, o problema ser realmente resolvido, vi sim esta semana um prefeito falando em reconstruir as casas, diga-se de passagem, de qualquer jeito, fazendo isso para ocultar aquilo, quer dizer as casas continuaram em locais de riscos e nenhum projeto para o futuro foi traçado..
    Não acredito na reconstrução de uma cidade, acredito na reconstrução das vidas que sofreram com as inundações.
    "Que Deus vos abençoe!"

    Renato Benetti – Mogi das Cruzes – SP

  28. Michelson Borges disse:

    Que a natureza está confusa isso é inegável. Mas também não se pode deixar de notar os interesses que se impõem por trás do fato. A União Européia e o Vaticano faz algum que se engajaram na luta para "salvar o planeta". E o presidente eleito dos EUA, contrariando a política ambiental do atual (e já vai tarde) presidente Bush, vai dedicar atenção especial ao aquecimento global. Essa coalizão já foi chamada de "a maior religião planetária urbana de que se tem notícia". Ninguém nega que a proteção do meio ambiente deva ser uma prioridade das nações e dos indivíduos, mas em clima de medo exacerbado pela mídia fica mais fácil de se praticar a engenharia social e aprovar leis que, de outra maneira, dificilmente seriam aprovadas, como é o caso da lei dominical para que a Terra possa "descansar" um dia por semana. No caso específico de Santa Catarina, é fácil atribuir toda a culpa à natureza. Isso ajuda a desviar o foco das possíveis causas do desastre: falta de uso devido das verbas federais para aumentar e aprofundar a calha do rio Itajaí e fiscalização do desmatamento da Mata Atlântica e da ocupação desordenada dos morros. A natureza tem sua parcela de culpa, mas o pecado não é só dela.

  29. Fabio Leonel disse:

    de Tribobó City, RJ

    Eu acho que essa história de aquecimento global é tudo uma grande balela. Sempre houve inundações em Santa Catarina.

  30. márcio reis disse:

    a dúvida realmente é bem-vinda. Parece unanimidade, mesmo estre leigos, que o aquecimento global tenha destruído Santa Catarina. E sabemos o que dizem da unanimidade.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *