Início » Vida » Ciência » Trump é acusado de censurar dados sobre mudanças climáticas
MEIO AMBIENTE

Trump é acusado de censurar dados sobre mudanças climáticas

De acordo com cientistas, gestão de Trump vem censurando termos e dados referentes às mudanças climáticas em agências ambientais do governo

Trump é acusado de censurar dados sobre mudanças climáticas
Agência de Proteção Ambiental é uma das mais afetadas (Foto: Joyce N. Boghosian/White House)

Especialistas da área do Meio Ambiente estão acusando a gestão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de censurar pesquisas científicas. O governo estaria evitando o uso oficial de termos como ‘mudanças climáticas’ e outros relacionados.

Uma análise da Environmental Data and Governance Initiative (EDGI) em diferentes sites governamentais demonstrou que termos relacionados às mudanças climáticas tiveram queda de 26%, entre os anos de 2016 e 2018. A Casa Branca afirma que é normal a mudança, pois o governo Trump tem prioridades diferentes do governo Obama. No entanto Eric Nost, coautor da análise, discorda do argumento.

“Você pode ter diferentes prioridades relacionadas ao clima e como você lida com isso… mas o que estamos vendo é muita ofuscação de recursos realmente fundamentais e informações relacionadas à questão em si, com pouca atenção para o fato de que as coisas estão mudando”, destacou Nost.

A Agência de Proteção Ambiental (EPA, em inglês) dos EUA também promoveu mudanças em seus trabalhos. A agência teria removido dezenas de páginas de seus estudos que enfatizavam as mudanças climáticas. Ademais, reclassificou os estudos de “ciência climática” para “ecossistema”.

De acordo com os críticos, a Casa Branca impediu até mesmo seus próprios especialistas de explicarem sobre as ameaças às vidas e economia promovidas pela poluição por parte de carros e indústrias.

Ao Congresso, a cientista climática Maria Caffrey, que trabalhou no Serviço Nacional de Parques, afirmou que estava sendo impedida de publicar informações sobre o risco de inundação de parques à medida que o nível dos mares aumenta. “A política não tem lugar na ciência”, apontou a cientista.

Outros membros e ex-funcionários de agências governamentais ambientais também relataram o clima de medo e censura dentro das entidades. Alguns funcionários chegaram a pedir demissão ou anunciar aposentadoria, como é o caso da diretora do Instituto Nacional de Ciências de Saúde Ambiental, Linda Birnbaum, devido à escalada de censura.

Uma das agências que mais têm sofrido com as mudanças promovidas pela administração Trump é a EPA, comandada pelo republicano Andrew Wheeler, um ex-lobista do setor industrial. A agência já teria promovido a dissolução de um painel de especialistas em poluição do ar, demitido assessores científicos, entre outras ações, consideradas uma “contínua erosão da ciência” por Chris Zarba, ex-diretor da equipe do conselho consultivo científico da EPA.

Outras agências, por sua vez, têm sido mantidas afastadas do governo federal, com algumas das entidades sendo retiradas da capital Washington, o que também tem promovido a saída ou a aposentadoria de alguns especialistas.

Leia também: Governo da Hungria mira pesquisas científicas

Fontes:
The Guardian-War on science: Trump administration muzzles climate experts, critics say

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Roberto Henry Ebelt disse:

    Antes de ler eu olho a fonte. Se for THE GUARDIAN não perco meu tempo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *