Vigilância Sanitária

Pesquisa revela insetos e pouco ferro em farinha de trigo

fonte | A A A

Uma pesquisa realizada pela entidade de defesa do consumidor, Pro Teste, com 13 marcas de farinha de trigo apontou que a maioria tem menos ferro que o exigido por lei e muitos fragmentos de insetos.

O estudo foi feito com farinhas compradas em abril em supermercados de 13 cidades brasileiras das regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. No quesito insetos, 11 das 13 marcas tiveram quantidade considerada regular ou ruim. Houve casos em que os pedaços dos insetos foram observados a olho nu. Com relação ao ferro, cinco das 13 marcas desrespeitaram a lei.

A adição do ferro na farinha é uma exigência do governo para evitar os males decorrentes de sua deficiência no organismo, como a anemia. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, a engenheira de alimentos da Pro Teste, Vivian Tavares de Andrade, afirmou que os insetos dessas farinhas não são prejudiciais à saúde.

Por decisão judicial, a Pro Teste não pode divulgar uma pesquisa que constatou a presença de pêlos de roedor num tipo de molho.

De volta ao topo comentários: (2)

Sua Opinião

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Estado

Cidade

  1. Nedalim disse:

    O anúncio público sobre a situação da farinha de trigo, sem revelar o nome das MARCAS que a fraudam, não passa de uma ALEGORIA, mais uma fraude, contra a IDONEIDADE do povo brasileiro. Vergonha sobre vergonha! Desmascarem os GENOCIDAS!

  2. Marcelo de Matos disse:

    Talvez a engenheira de alimentos Vivian Tavares esteja dizendo que esses fragmentos de insetos não são prejudiciais à saúde porque, normalmente, a farinha de trigo é assada ou frita. E a farinha de milho ou mandioca que a gente adiciona "in natura" ao feijão? E o orégano que a gente põe sobre o queijo provolone para comoer como petisco? Se esses alimentos que são consumidos "in natura" não forem eficientemente fiscalizados, nós é que estamos "fritos".