Início » Notícia » Rio volta a registrar casos de malária após 40 anos livre da doença
Saúde

Rio volta a registrar casos de malária após 40 anos livre da doença

Este ano, o estado já registrou 14 casos da doença

Rio volta a registrar casos de malária após 40 anos livre da doença
Mosquito transmissor da doença. Em caso de surgirem sintomas, o mais aconselhado é procurar a Fiocruz (Foto: Reprodução/O Globo)

Após quatro décadas livre da Malária, o Rio de Janeiro registrou 14 casos da doença, identificados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os pacientes estão sob vigilância epidemiológica na Secretaria do Estado de Saúde e no Ministério da Saúde. Os indícios são de que as pessoas contaminadas são originárias do próprio estado. Dos 14 casos, um foi registrado na Região Serrana do Rio e 13 na zona sul da capital.

Leia mais: Malária resistente a medicamentos preocupa pesquisadores

O Ambulatório de Doenças Febris Agudas do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, da Fiocruz, foi o responsável por identificar os casos. O ambulatório faz parte do Centro de Diagnóstico e Treinamento da Malária (CPD-MAL), que é comandado pelo imunologista Cláudio Tadeu Daniel Ribeiro, considerado um dos maiores especialistas na doença no planeta.

Um estudo com o objetivo de sequenciar o genoma do parasita causador da doença está sendo feito pela equipe do geneticista Mariano Zalis, do Laboratório de Infectologia e Parasitologia Molecular do Hospital Universitário Clementino Fraga da UFRJ, pioneiro no estudo genético da doença.

Os pesquisadores afirmaram que não há motivo para pânico, é apenas necessário atenção aos sintomas e busca por tratamento imediato. A malária que afeta o Rio de Janeiro é uma versão mais branda da doença, não é fatal, mas pode causar episódios permanentes de febre, problemas hepáticos e prostração. Os sintomas aparecem 10 dias após a contaminação.

Fontes:
o Globo-Rio tem 14 casos de malária confirmados após 40 anos livre da doença

1 Opinião

  1. André Luiz D. Queiroz disse:

    Desse jeito, daqui a pouco teremos também de volta a febre amarela, e até a varíola! E quando começarem as campanhas de vacinação compulsória, haverá protestos no estilo da ‘Revolta da Vacina’!…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *