Início » Vida » Saúde » Brasileiros convivem com dor crônica
Saúde

Brasileiros convivem com dor crônica

Pelo menos 28% da população brasileira sofre de dor crônica, doença causada principalmente pela falta de tratamento correto e automedicação

Brasileiros convivem com dor crônica
Enxaqueca é uma das fontes de dores crônicas em homens e mulheres

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Sociedade Brasileira de Estudos da Dor calcula que ao menos 28% da população brasileira convivem com uma dor crônica. As principais causas da passagem do estágio de dor passageira para crônica são a falta tratamento correto e a automedicação.

Segundo especialistas, a caracterização deste nível crônico de dor é a formação de uma memória da dor. “É como se o cérebro se acostumasse com a sensação e a reproduzisse ao menor estímulo”, esclarece o reumatologista Jamil Natour.

Ele lembra também que a memória da dor pode ser estimulada por sintomas constantes, até mesmo os aparentemente fracos. “Quanto mais tempo a pessoa sente dor, mais difícil será de fazer com que ela pare”, afirma a anestesiologista Fabíola Peixoto Minson, diretora da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor. O reumatologista Natour acrescenta que, quando o paciente chega a este nível, a dor passa a ser a doença.

Diagnóstico é difícil

Para Natour, o diagnóstico é difícil, pois a população acha que sentir dor é algo comum. Com isso, muitos não buscam tratamento ainda na fase aguda.

A dor e a genética

Estudos recentes associam a sensibilidade à dor a um gene específico. De acordo com os cientistas, a presença do gene CACNG2 está associada à dor por lesões nervosas, como em cirurgias ou traumas. Em testes clínicos com pacientes de câncer de mama que sofriam de dores crônicas mesmo após a remoção do seio, comprovou-se a presença do gene CACNG2.

Causas das dores

As dores crônicas são causadas por fibromialgia, dores musculares, pélvicas e lombares. Elas podem ser geradas também por variação hormonal.

O tratamento não deve ser feito com analgésico, que ameniza os sintomas, mas voltado para a cura da doença e para dar fim à memória da dor. Neste sentido, é necessário que o paciente passe um período sem dor.

Fontes:
Folha.com - Ao menos 28% dos brasileiros convivem com dor crônica

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Felipe Brasil disse:

    1º Mais Frutas no dia a dia. recomendo 5
    2º Mais Exercicios. recomendo 30 minutos de carreirinhas pela rua.
    3º Mais Alimentos com Calcio e Ferro.
    e para as crianças !

    4º BIOTONICO !! e muito

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *