Início » Brasil » Campanha de vacinação contra pólio e sarampo começa nesta segunda
SAÚDE

Campanha de vacinação contra pólio e sarampo começa nesta segunda

Objetivo é vacinar 95% das 11,2 milhões de crianças entre um e cinco anos de idade, independentemente da situação vacinal de cada uma

Campanha de vacinação contra pólio e sarampo começa nesta segunda
Campanha tem como foco crianças entre um e cinco anos de idade (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Começou nesta segunda-feira, 6, a Campanha Nacional de Vacinação Contra a poliomielite e sarampo. A iniciativa é promovida pelo Ministério da Saúde em todo o Brasil, e vai até o dia 31 de agosto. O objetivo é vacinar 95% das 11,2 milhões de crianças entre um e cinco anos de idade, independentemente da situação vacinal de cada uma.

O dia mais importante da campanha será no próximo 18 de agosto, chamado de Dia D. Na data, que cai num sábado, todos os mais de 36 mil postos de saúde em todo o Brasil estarão abertos para a vacinação das crianças.

De acordo com um comunicado do Ministério da Saúde, contra a poliomielite as crianças vão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP) ou a Vacina Oral contra a Poliomielite (VOP). Já contra o sarampo, vão receber uma dose da Tríplice Viral, desde que não tenham tomado nenhuma vacina nos últimos 30 dias.

Serão disponibilizadas em todos os estados 871.320 doses da VIP, 14.019.000 doses da VOP e 13.457.100 doses da Tríplice Viral, totalizando 28.347.420 doses das vacinas. Para atender a demanda, o Ministério da Saúde gastou R$ 160,7 milhões.

“Vacinando desta forma criamos uma barreira sanitária, uma imunidade de grupo. Rapidamente teremos a oportunidade de garantir que, mesmo que os vírus da pólio e sarampo entrem no país, não encontrem uma fonte de infecção”, explicou Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde.

A campanha foi antecipada em localidades que registraram um alto índice do sarampo. Em Roraima, por exemplo, a iniciativa começou em março, vacinando desde bebês de seis meses até pessoas de 49 anos de idade. Em Manaus (AM) a campanha foi antecipada para abril, aplicando a vacina em pessoas de seis meses a 29 anos de idade. A campanha também está em andamento em Rondônia, vacinando crianças entre seis meses e cinco anos de idade.

Até o momento, segundo um levantamento da Folha de S. Paulo, já foram registrados mais de mil casos de sarampo em todo o país. O Ministério da Saúde, porém, afirma que foram confirmados mais de 800 casos entre Amazonas, Roraima, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pará, Rondônia e São Paulo.

“Às vezes enfrentamos uma situação como essa de baixa cobertura vacinal que nos traz um alerta, porque temos uma falsa impressão de que a doença foi eliminada do país. Mas é a cobertura vacinal elevada que faz a doença desaparecer. E é por isso que devemos continuar vacinando nossos filhos, para manter essas doenças longe do Brasil”, destacou o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

Gráficos apresentados pelo Ministério da Saúde demonstram uma brusca queda na vacinação nos últimos anos. Para a poliomielite, por exemplo, o órgão registrou um volume acima de 100% em 2011, de 84,43% em 2016 e de apenas 78,4% em 2017. Já em relação a vacinas contra o sarampo, foram registradas quedas tanto na primeira, quanto na segunda dose. A 1ª dose só atingiu 85,2% do público em 2017, enquanto a segunda marcou 69,9%.

O Brasil está livre da poliomielite desde os anos 1990, recebendo, em 1994, a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem, da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). Atualmente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a poliomielite só continua sendo uma doença endêmica no Paquistão, na Nigéria e no Afeganistão.

Por outro lado, o Brasil também estava livre do sarampo desde 2016, quando recebeu o certificado da Opas de eliminação do vírus. No entanto, a doença retornou ao país devido à baixa adesão às vacinas e à presença de venezuelanos no Brasil – o genótipo do vírus é o mesmo identificado na Venezuela.

Nova campanha

A estrela da nova campanha é a apresentadora Xuxa Meneghel. Durante o vídeo promocional de um minuto, o Zé Gotinha aparece contracenando com Xuxa, dançando o jogo Just Dance e na animação da Galinha Pintadinha. Todas figuras que fazem a alusão às crianças de hoje e do passado, que atualmente são pais.

Através do site oficial da campanha, o Ministério da Saúde dá maiores explicações sobre as doenças e esclarece mitos que sobre a vacinação que ganharam as redes sociais e aplicativos de troca de mensagens.

 

Leia mais: Mais de 11 milhões de crianças devem se vacinar contra sarampo e poliomielite
Leia também: Sociedades médicas se unem por vacinação
Leia também: Antes extintas, doenças voltam a ameaçar o Brasil
Leia também: Falta conscientização dos pais na hora de vacinar os filhos, aponta ministro

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *