Início » Brasil » Campanha de vacinação pode ser estendida até sábado
SARAMPO E POLIOMIELITE

Campanha de vacinação pode ser estendida até sábado

O Ministério da Saúde orientou que os municípios que estão abaixo da meta de vacinação estendam a campanha de vacinação contra a poliomielite e o sarampo

Campanha de vacinação pode ser estendida até sábado
A meta da campanha é vacinar 11.212.278 crianças (Foto: Divulgação)

Aproximadamente 3,3 milhões de crianças ainda não foram vacinadas para a poliomielite e para o sarampo em todo o Brasil. Por isso, o Ministério da Saúde sugeriu que os municípios que ainda não atingiram a meta de vacinação estendam prazo até o próximo sábado, 1. Antes, a campanha estava prevista para terminar na próxima sexta-feira, 31.

Segundo números registrados até a última terça-feira, 28, apenas 7.852.812 crianças foram vacinadas contra a poliomielite e 7.862.626 receberam vacinas contra o sarampo em todo o país. A meta da campanha é vacinar 11.212.278 crianças e, por isso, sugeriu que os postos de saúde municipais abram no próximo sábado para dar uma nova oportunidade aos pais de levarem os filhos.

“Queremos impedir que doenças já eliminadas retornem ao Brasil. Por isso, convocamos pais e responsáveis a levarem as crianças que ainda não foram vacinadas aos postos de saúde, independente da situação vacinal anterior, já que, neste ano, a campanha é indiscriminada”, destaca o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, através de uma nota.

De acordo com um comunicado do Ministério da Saúde, contra a poliomielite as crianças recebem a Vacina Inativada Poliomielite (VIP) ou a Vacina Oral contra a Poliomielite (VOP). Já contra o sarampo recebem uma dose da Tríplice Viral, desde que não tenha tomado nenhuma vacina nos últimos 30 dias.

Números baixos

O estado com um dos piores índices de vacinação é o Rio de Janeiro. A meta é vacinar 811.853 crianças em todo o estado, mas apenas 51,26% foram vacinadas contra a poliomielite e 52,40% receberam a vacina contra o sarampo. Já as capitais com os piores índices estão Boa Vista (RR), com 38,4% para pólio e 38,3% para o sarampo, e Salvador (BA), com 38,8% para poliomielite e 38,4% para o sarampo.

O Ministério da Saúde destaca que o estado de Roraima é um dos mais atingidos pelos casos de sarampo. Ao todo, já foram registrados 300 casos da doença, além de 70 em investigações. Apenas no Amazonas foi registrada uma maior incidência do sarampo, com 1.211 casos e 6.905 em investigação. Em todo o Brasil, existem 1.553 casos da doença e 6.975 em investigação. Até o momento, sete pessoas morreram, sendo quatro em Roraima e três no Amazonas.

Justamente pela grande incidência da doença nos estados, era esperado que boa parte das crianças fossem vacinadas. No entanto, em Roraima, apenas 54,11% receberam a vacina contra a pólio e 50,84% contra o sarampo. No Amazonas o índice foi melhor, mas longe do ideal. No estado, 62,97% se vacinaram contra a poliomielite e 77,92% contra o sarampo.

Até o momento, o Amapá foi o único estado que superou a meta de 95% da vacinação. No estado, 99,81% das crianças se vacinaram contra a poliomielite e 99,43% receberam a vacina contra o sarampo. Além do Amapá, apenas o estado de Rondônia está perto de atingir a meta, com 93,25% das crianças já tendo recebido a vacina contra a poliomielite e 92,04% sendo vacinadas contra o sarampo.

No último final de semana, além do Amapá, São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Maranhão e Espírito Santo promoveram mais um dia de campanha para alavancar os números. A intenção é que a campanha seja repetida no próximo sábado para que os estados alcancem a meta da vacinação.

Retorno do sarampo

O Brasil estava livre do sarampo desde 2016, quando recebeu o certificado da eliminação do vírus da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). No entanto, diferentes estados registraram o retorno da doença neste ano. Segundo o Ministério da Saúde, a doença o surto da doença está relacionado a importação, já que o genótipo D8 está circulando na Venezuela desde 2017.

No entanto, não foi apenas no Brasil que a doença ganhou força. Na Europa, apenas nos seis primeiros meses de 2018, foram registrados 41 mil casos da doença. O número é superior aos 23.927 casos registrados em 2017 e aos 5.273 encontrados em 2016.

“Pedimos a todos os países que implementem imediatamente medidas abrangentes e adequadas ao contexto para impedir a propagação dessa doença. A boa saúde para todos começa com a imunização e, enquanto o sarampo não for eliminado, não cumpriremos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, pediu a diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Europa, Zsuzsanna Jakab, através de um comunicado.

 

Leia também: Mais de 11 milhões de crianças devem se vacinar contra sarampo e poliomielite

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *