Início » Internacional » Cetamina pode ser usada para combater alcoolismo
ESTUDO

Cetamina pode ser usada para combater alcoolismo

Resultados de estudo levantam a possibilidade de que a terapia possa ser desenvolvida em uma nova forma de tratamento para a dependência de álcool

Cetamina pode ser usada para combater alcoolismo
O estudo envolveu 90 pessoas com níveis perigosos de bebida (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Pode parecer um caminho improvável para a abstinência, mas os cientistas descobriram que um tratamento envolvendo uma dose única de cetamina poderia ajudar pessoas que sofrem com alcoolismo a reduzir substancialmente o consumo de álcool.

Os cientistas responsáveis pelo estudo disseram que a cetamina, mais conhecida como droga recreativa e também como tranquilizante de animais, pode ser usada para “reescrever” as memórias relacionadas à bebida. Os resultados levantam a perspectiva de que a terapia possa, no futuro, ser desenvolvida em uma forma totalmente nova de tratamento para a dependência de álcool.

O estudo foi inspirado por um crescente corpo de evidências de que a cetamina pode ser usada para perturbar as memórias. No caso do vício, as memórias podem gerar padrões de comportamento prejudiciais – por exemplo, quando alguém aprende a associar um ambiente a um gatilho para o desejo de tomar uma bebida.

O estudo envolveu 90 pessoas com níveis perigosos de alcoolismo, mas que não tinham um diagnóstico formal de transtorno por uso de álcool. Em média, eles bebiam 74 unidades de álcool por semana, o equivalente a cerca de 30 litros de cerveja – cinco vezes o limite recomendado. Eles eram todos, principalmente, bebedores de cerveja.

No primeiro dia, um copo de cerveja foi colocado na frente do participante e disseram-lhes que poderiam beber depois de ver algumas imagens de cerveja e pessoas bebendo. Eles foram autorizados a beber a cerveja, mas no segundo dia, quando a mesma rotina foi repetida, a cerveja foi retirada.

A remoção inesperada de uma recompensa antecipada é conhecida por interromper temporariamente as associações aprendidas. Normalmente, a memória se reestabiliza nos minutos e horas após a experiência. Mas a cetamina bloqueia um receptor cerebral chamado NMDA, necessário para a formação de memórias. Portanto, os cientistas esperavam que esse curto período de instabilidade representasse uma janela de oportunidade para reescrever permanentemente as memórias relacionadas à bebida.

No estudo, uma vez que a cerveja foi retirada, alguns participantes receberam uma infusão intravenosa de cetamina, enquanto outros receberam uma infusão de placebo. Um terceiro grupo recebeu a cetamina, mas sem a intervenção psicológica.

O método pareceu ter sucesso. Durante um acompanhamento de dez dias, as pessoas que receberam cetamina combinadas com a intervenção psicológica mostraram reduções significativas em seu desejo de beber, beberam menos álcool e em menos dias do que os outros participantes do estudo.

O efeito foi sustentado ao longo de nove meses de acompanhamento. Todos os três grupos diminuíram o consumo de bebida, mas os que receberam a terapia com cetamina tiveram uma melhora geral muito mais acentuada, reduzindo pela metade o consumo médio semanal de álcool nos nove meses.

Leia também: Entenda o decreto que altera padrões de cerveja no Brasil
Leia também: O boom cervejeiro no Brasil

Fontes:
The Guardian-One-off ketamine dose may reduce heavy drinking, say scientists

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Interhelp disse:

    Como uma droga que pode ser abusada, a cetamina vem com uma bagagem que pode deixar as pessoas relutantes em vê-la como uma maneira de tratar vícios. Mas se uma dose única de cetamina pode retardar o consumo excessivo, “é uma troca muito fácil do ponto de vista da saúde.

    https://www.interhelpinternacao.com.br

    Abç.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *