Início » Vida » Saúde » Como prevenir e diagnosticar a osteoporose
Saúde e bem-estar

Como prevenir e diagnosticar a osteoporose

Como prevenir e diagnosticar a osteoporose
A osteoporose atinge principalmente idosos

A osteoporose pode ser definida como osso poroso e é uma doença que se caracteriza pela baixa densidade do esqueleto, resultante da perda gradual e contínua do cálcio armazenado nos ossos. A osteoporose é menos comum no homem do que na mulher e atinge principalmente pessoas idosas. Isso porque uma descalcificação óssea acontece naturalmente com o envelhecimento, fazendo com que os ossos percam sua rigidez normal e se tornem menos resistentes a traumas, ficando, por consequência, mais vulneráveis a fraturas, especialmente no colo de fêmur, coluna vertebral e punho.

Segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população brasileira vem envelhecendo nos últimos anos. A incidência desta doença deve, então, crescer no Brasil. Uma reflexão que vem à tona por ocasião do Dia do Idoso (27 de fevereiro), já que a osteoporose é uma das principais enfermidades que atingem o indivíduo na terceira idade.

“O exame periódico é fundamental para um diagnóstico precoce, pois se trata de uma doença silenciosa. O raio-x é capaz de diagnosticar a redução de densidade óssea, quando cerca de 30% de sua massa já foi perdida, no entanto, a densitometria óssea é o método mais avançado para o diagnóstico da osteoporose, além de ser aplicado na avaliação de possíveis fraturas e monitoramento de tratamentos”, explica Dra. Cristiane Mendes, do Lâmina Medicina Diagnóstica/DASA.

Por haver uma maior incidência de osteoporose em mulheres, o exame é indicado, principalmente, para pacientes do sexo feminino, a partir dos 45 anos, que apresentem mais de um fator de risco, como ser branca ou asiática, magra, baixa, ter casos da doença na família e para as mulheres que estejam no período da peri menopausa, principalmente na fase de reposição hormonal.

Há também a indicação para os pacientes que fazem uso abusivo do álcool, cigarro, café e que tenham uma dieta pobre em cálcio. Além dos portadores de hiperparatireoidismo primário, e aqueles que fazem uso prolongado de corticóides por conta de doenças como asma, artrite ou lúpos, bem como qualquer fratura suspeita de osteoporose.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, um terço das mulheres brancas com mais de 65 anos são portadoras dessa doença. Nos Estados Unidos a osteoporose é responsável por mais de 1,5 milhão de fraturas por ano. Ainda de acordo com a radiologista Drª Cristiane Mendes, o crescimento da população idosa aumenta a cada dia e, a manter-se esta projeção, considerando-se que as mulheres são mais acometidas pela osteoporose que os homens, teremos nos próximos anos uma paciente osteoporótica em cada quatro mulheres caucasóides. Por isso, a prevenção através da desintometria é decisiva para uma melhor qualidade de vida da população, sobretudo das mulheres que são a parcela mais atingida pela doença.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Arlon Borges disse:

    Muito bom o artigo da Dra. Cristiane Mendes, do Lâmina Medicina Diagnóstica/DASA.

  2. luiz antonio vieira barbi disse:

    O ESSENCIAL FOI ALI DITO EM MÍNIMAS LINHAS, QUANDO TODOS SABEM QUE OSTEOPOROSE E CIGARRO SÃO UMA DUPLA CERTA!! PELO MENOS, É O QUE NOS ENSINAM…QUEM FUMA ESTÁ NO CAMINHO CERTO DA DESGRAÇA!! O MAIS CURIOSO É QUE MUITA GENTE FUMA MUITO E DEPOIS EXIGE ALGUMA SOLUÇÃO MÁGICA E GRATUITA PARA AS DOENÇAS…

  3. MARIA NEUSA DOS SANTOS disse:

    É muito importante estes artigos sobre saude. A dra. Cristiane foi muito feliz no seu artigo. Parabens dra. e volte sempre. Precisamos saber o que nos acomete para poder prevenir as mazelas que nos chega com a idade.

  4. Vânia -SC disse:

    Importantíssima essa materia, pois alerta para os cuidados de prevenção que se pode fazer e assim prevenir ou retardar um problema futuro. O que faltou foi indicar também, como podemos prevenir através da alimentação e exercícios físicos. Será que estes fatores não interferem?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *