Início » Vida » Ciência » Estudo sugere que Alzheimer pode ser transmitido por procedimentos médicos
Saúde

Estudo sugere que Alzheimer pode ser transmitido por procedimentos médicos

No entanto, o principal autor do estudo teve cuidado ao enfatizar que os resultados não significam que a doença de Alzheimer é contagiosa

Estudo sugere que Alzheimer pode ser transmitido por procedimentos médicos
Algumas proteínas nocivas, como os priões que causam a doença da vaca louca em bovinos, podem atuar como "sementes" que podem deformar outras proteínas, que formam o cérebro (Foto: Pixabay)

Um novo estudo sugere que o precursor de uma proteína anormal que provoca a doença de Alzheimer pode ser transmitida de pessoa para pessoa por meio da transferência de tecido ou de determinados procedimentos médicos ou cirúrgicos especializados.

Algumas proteínas nocivas, chamadas de priões, podem atuar como “sementes” que podem deformar outras proteínas, que formam o cérebro. Segundo o estudo, uma “semente” similar pode estar transportando a beta-amiloide, a proteína anormal que leva a doença de Alzheimer. O documento foi publicado nesta quarta-feira, 9, na revista Nature.

No entanto, o principal autor do estudo teve cuidado ao enfatizar que os resultados não significam que a doença de Alzheimer é contagiosa. O professor de neurologia da University College London, John Collinge, principal autor do estudo, enfatizou que o estudo foi focado em um pequeno grupo de pessoas, a maioria crianças, inadvertidamente infectadas com a doença de Creutzfeldt-Jakob (CJD) durante um tratamento com hormônio do crescimento (GH), entre 1958 e 1985.

Antes de 1985, o hormônio do crescimento era fabricado a partir de extratos de tecido tirados de uma glândula de cadáveres, muitos dos quais estavam infectados com os priões que causam a CJD, que constantemente destrói o tecido cerebral.

Ao examinar o cérebro de várias dessas pessoas contaminadas que depois morreram por conta da CJD, os cientistas ficaram surpresos ao descobrir que muitos deles também tinham acúmulo de beta-amiloide. Os depósitos de beta-amiloide foram surpreendentes, uma vez que as pessoas tinham morrido em idades relativamente jovens, disse Collinge. Ele disse que sua equipe concluiu que uma explicação plausível para o acúmulo foi de que as “sementes” de beta-amiloide tinham sido transmitidas juntamente com os priões fatais da doença Creutzfelt-Jakob.

O trabalho de sua equipe sugeriu que mais pesquisas são necessárias para explorar a possibilidade de que a proteína nociva que desencadeia a doença de Alzheimer pode ser transmitida através de extratos de tecido humano, certos tipos de transplantes ou instrumentos cirúrgicos esterilizados indevidamente. Isso não quer dizer que a doença seja contagiosa, mas que talvez ela seja induzida por extratos de tecidos de outras pessoas.

Enquanto isso, o professor de neurociência na Universidade de Lancaster, David Allsop, mostrou preocupação quanto à cobertura noticiosa do estudo que poderia facilmente fazer com que as pessoas pensassem que o Alzheimer é contagioso. Além disso, ele listou uma série de defeitos no estudo, como o fato de não saber se algum dos sujeitos realmente passou a desenvolver a doença de Alzheimer.

“Não há evidências de que a doença de Alzheimer pode ser transmitida de uma pessoa para outra, ou através da utilização de instrumentos cirúrgicos contaminados, e estes resultados devem ser interpretados com muita cautela”, Allsop disse em uma declaração por escrito.

Fontes:
The Washinfton Post-Study: Alzheimer’s pathology might be transmittable via medical procedures

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *