Início » Brasil » Governo anuncia repasse a cidades que perderam Mais Médicos
MINISTÉRIO DA SAÚDE

Governo anuncia repasse a cidades que perderam Mais Médicos

Repasse é anunciado pelo Ministério da Saúde um dia após ser revelado que mais de mil profissionais já abandonaram o novo Mais Médicos

Governo anuncia repasse a cidades que perderam Mais Médicos
Verba só será repassada a cidades onde houve desistência, deixando de fora as que ainda não receberam novos médicos (Foto: EBC)

Um dia após ter sido revelado que mais de mil médicos já abandonaram o novo programa Mais Médicos, o Ministério da Saúde anunciou a extensão, por seis meses, do financiamento a municípios que perderam os profissionais da iniciativa.

A verba, porém, só será repassada para as cidades que registraram desistências ou perdas de profissionais desde o último mês de janeiro, e não àquelas que ainda não receberam novos médicos.A portaria nº 475/2019 foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 5, sendo assinada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Um total de 7.120 brasileiros foram selecionados para o Mais Médicos para cobrir a saída dos cubanos, que deixaram 8.517 postos de trabalho vagos. Destes, quase 15% (1.052) já desistiram e deixaram o programa.

Segundo um comunicado do Ministério da Saúde, o repasse continuará sendo feito “enquanto [a Pasta] prepara novo programa de atenção básica para grandes centros”. O novo programa deve ser lançado “dentro de algumas semanas”. Ainda segundo a nota, as cidades vão poder usar os recursos financeiros para contratar seus próprios médicos.

Ademais, a Pasta esclarece que, nas cidades mais vulneráveis, além de pagar o salário de cerca de R$ 11,8 mil mensais, as equipes contam ainda com mais R$ 4 mil para custeio. De acordo com a portaria, o financiamento estendido vale para qualquer cidade que perdeu profissionais de saúde desde o dia 1º de janeiro, incluindo os casos de médicos que terminaram o contrato.

“Com a portaria, mesmo sem o médico, a unidade básica conseguirá receber a verba de custeio e outros financiamentos federais. Essa medida foi pedida pelos estados e municípios na reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), ocorrida na semana passada”, esclarece o comunicado, revelando ainda que os médicos de grandes cidades em término de contrato não estão tendo o compromisso renovado.

De acordo com o comunicado, 347 médicos, que entraram no programa entre janeiro e abril de 2016 em 181 municípios, não tiveram o contrato renovado. Os profissionais de saúde estavam atuando em grandes cidades, próximas a capitais e regiões metropolitanas. A intenção da Pasta é levar o Mais Médicos apenas para municípios de “maior vulnerabilidade social”.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. André Vinícius Vieites disse:

    Os cubanos pediram para não ser identificados, PORQUE NÃO SABEM O QUE FARÃO SEM EXERCER MEDICINA, ABREM SALÕES DE ESTÉTICA. Eles temem ser presos no futuro, quando retornarem ao país para visitar os parentes que deixaram lá.
    As roupas com que estavam eram novas, mas estavam sujas. Eles trouxeram poucas peças, e pelo visto, as melhores POSSIBILIDADES. Junto nas bagagens, muitos sonhos, incluindo o de um novo recomeço, ABRIR ESTÉTICA EM RORAIMA.

  2. André Vinícius Vieites disse:

    Assim, venezuelanos e cubanos estavam personalizados em sua ação explicada por desejos, paixões e futuros…Mas, é bem provável que as assimilações de ordem econômica que se venderam no passado para esses imigrantes aumente o sucateamento da formalidade empregatícia brasileira, além dos cubanos, venezuelanos, temos, nigerianos, sírios, senegaleses e angolanos, disputando as poucas oportunidades de personalidade econômica operacional formalista, que ainda os brasileiros poderiam se orgulhar lá em 2005 ou 2007, não existe mais. Bom, o diagnóstico atual é que veio a acontecer um novo caminho sem rumo… é de que tenha menos empregos formais para todos, e a idéia da clínica estética em Roraima, não ficou tão absurda. É capaz de cubano ainda empregar brasileiro. É um novo cenário da economia real, é apavorante, mas é real. Só quem não se apavora é o público do pós-doutorado, bom daí para esse nicho, realmente, o mercado é outro. Mas todos se preocupam igual com a guerra civil Venezuelana, que acontece agora já em realtime. Bom, daí se vê um preocupação real, petróleo russo, GuaidóXMaduro. Estados Unidos e Russia guerreando em solo venezuelano, e o Brasil assistindo tudo isso, sem se preocupar, afinal de contas temos militares no poder. E não sei, continuo acreditando que o Papa é Argentino e Deus é brasileiro. (é ridículo, mas faz sentido…);

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *