Início » Internacional » Hospital separa gêmeas siamesas após mais de 50 horas de cirurgia
REINO UNIDO

Hospital separa gêmeas siamesas após mais de 50 horas de cirurgia

Separação foi dividida em três procedimentos, realizados entre outubro de 2018 e fevereiro de 2019, com a participação de mais de 100 profissionais

Hospital separa gêmeas siamesas após mais de 50 horas de cirurgia
Safa e Marwa Ullah, de dois anos, passam por fisioterapia diariamente (Foto: Divulgação/GOSH)

O hospital Great Ormond Street (GOSH), em Londres, no Reino Unido, realizou, com sucesso, três procedimentos cirúrgicos para separar duas irmãs gêmeas siamesas. Safa e Marwa Ullah, que nasceram em janeiro de 2017, estão se recuperando em casa, fazendo fisioterapia diariamente.

O processo contou com três cirurgias principais e outros procedimentos cirúrgicos menores, realizados entre outubro de 2018 e fevereiro de 2019. Ao todo, mais de 100 profissionais participaram dos procedimentos, que duraram mais de 50 horas.

O GOSH é especializado em cirurgia para separação de gêmeos siameses. O fenômeno é raro, sendo registrado em apenas um em cada 2,5 milhões de nascimentos. Para a separação dos gêmeos, são necessárias cirurgias complexas, que envolvem profissionais de diferentes especialidades.

No caso das irmãs Ullah, que tiveram alta hospitalar no último dia 1º de julho, o fenômeno é conhecido como gêmeos craniopagus, quando as crianças são unidas pela cabeça. Os procedimentos cirúrgicos foram pagos por um doador particular.

Antes dos processos cirúrgicos começarem, a equipe do hospital fez todo o mapeamento de como as irmãs eram ligadas. Para isso os profissionais utilizaram tecnologias de realidade virtual para identificar a anatomia das crianças e criar réplicas exatas, permitindo que os médicos tivessem uma melhor visualização durante os procedimentos.

O processo cirúrgico começou com o detalhamento de vasos sanguíneos e a visualização dos dois cérebros. Após isso, foi desenvolvido um plano para que o procedimento começasse a ser realizado. As primeiras cirurgias foram para separar os cérebros e os vasos sanguíneos.

Com o sucesso da cirurgia, um pedaço de plástico foi colocado entre os cérebros, permitindo a separação interna das crianças. Depois disso, os procedimentos cirúrgicos enfatizaram a separação cranial e da pele.

Para isso, o topo dos crânios das crianças foi reconstruído com o próprio osso delas. Já o topo da cabeça foi recoberto com a própria pele. Com isso, as duas crianças, que já haviam sido separadas internamente, também foram separadas externamente, conforme o hospital explicou através de uma nota.

“Estamos muito felizes por podermos ajudar Safa e Marwa e sua família. Foi uma jornada longa e complexa para eles. Sua fé e determinação foram tão importantes para ajudá-los a superar os desafios que enfrentaram. Estamos incrivelmente orgulhosos deles”, celebraram os coordenadores do procedimento, o neurocirurgião Noor Ul Owase Jeelani e o cirurgião craniofacial David Dunaway, através de um comunicado.

Safa e Marwa Ullah, que perderam o pai devido a um ataque cardíaco quando ainda estavam no ventre da mãe Zainab Bibi, de 34 anos, agora moram com a mãe, o avô, Mohammad Sadat, e o tio, Mohammad Idrees.

“Somos gratos ao hospital e à equipe e gostaríamos de agradecê-los por tudo que fizeram. Estamos extremamente animados com o futuro”, afirmou a mãe das meninas.

Fontes:
The Guardian-Conjoined twin girls separated in London after 50 hours of surgery

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Raquel Soares disse:

    Emocionada e agradecida a Deus pelo sucesso da cirurgia, Equipe médica de parabéns, Deus abençoe as crianças e suas família!
    Raquel Soares
    Mãe, Psicopedagoga

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *