Início » Internacional » Nova droga contra osteoporose restaura tecido ósseo
SAÚDE

Nova droga contra osteoporose restaura tecido ósseo

Substância que restaura o osso é primeira nova abordagem de tratamento da osteoporose em quase duas décadas

Nova droga contra osteoporose restaura tecido ósseo
Tratamentos padrão param a perda óssea, mas não a reconstroem (Foto: Manu5/Wikimedia)

A Food and Drug Administration (FDA) aprovou uma nova droga para osteoporose que representa a primeira nova abordagem de tratamento em quase duas décadas – uma estratégia baseada em uma mutação genética rara em pessoas com ossos tão densos que nunca quebram.

Cerca de 10 milhões de pessoas nos Estados Unidos têm osteoporose. Em todo o mundo, cerca de 200 milhões de pessoas têm ossos frágeis. Uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens sofrerão uma fratura por causa da osteoporose, geralmente do quadril ou da coluna. Para muitos, a ruptura leva a uma espiral de incapacidade.

Tratamentos padrão, medicamentos chamados bisfosfonatos, param a perda óssea, mas não a reconstroem. As alternativas, hormônio da paratireóide e um derivado, constroem o osso, mas também o quebram, limitando o efeito terapêutico. A nova droga, romosozumab (nome comercial Evenity), desenvolvida pela Amgen em colaboração com a empresa farmacêutica belga UCB, restaura o osso sem quebrá-lo, segundo os resultados de dois grandes ensaios clínicos.

Foi aprovado apenas para mulheres na pós-menopausa com alto risco de fratura e terá um aviso em seu rótulo de que pode aumentar o risco de ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, de acordo com a FDA, a Anvisa dos Estados Unidos.

Em grandes estudos clínicos, os pacientes que tomaram o medicamento aumentaram a densidade óssea em suas colunas na ordem de 15% – um número enorme, semelhante à quantidade de osso produzida no início da adolescência, disse Clifford J. Rosen, especialista em osteoporose do Maine Medical Center Research Institute e membro de um painel da FDA que avaliou os dados.

Apenas um aumento de 6% na densidade óssea pode se traduzir em uma duplicação da força óssea, disse Bockman. Nos testes, os pacientes que tomaram os remédios viram uma redução nas quebras, tanto na coluna quanto nas fraturas “clínicas” – ossos quebrados que um paciente percebe, em vez de, digamos, uma vértebra colapsada descoberta apenas em raios X.

Em um estudo, fraturas vertebrais ocorreram em 127 de 2.046 pacientes que tomaram o novo medicamento, em comparação com 243 de 2.047 tomando o alendronato, um medicamento mais antigo.

Mas também houve um aumento pequeno e inesperado de ataques cardíacos, derrames e mortes súbitas nesse estudo – 50 de 2.040 pacientes, ou 2,5%, tomando Evenity, em comparação com 38 de 2.014, ou 1,9%, tomando alendronato. O efeito foi observado em um dos dois grandes ensaios clínicos.

A FDA disse que estava exigindo o aviso na etiqueta da droga dizendo que a droga não deve ser usada por pessoas que tiveram um ataque cardíaco ou derrame no ano passado. Os médicos também devem considerar se devem prescrever o medicamento a pacientes com alto risco de ataques cardíacos e derrames. Pacientes que têm um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral ao tomar Evenity devem parar de tomar o medicamento.

Os efeitos colaterais podem incluir dores nas articulações e de cabeça e irritação no local da injeção. A agência está exigindo que a empresa realize um estudo pós-comercialização dos riscos cardiovasculares.

Fontes:
The New York Times-Most Osteoporosis Drugs Don’t Build Bone. This One Does.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *