Início » Vida » Saúde » O fim da Aids?
Trinta anos depois

O fim da Aids?

Ainda há uma caminhada pela frente, mas a Aids pode ser derrotada

O fim da Aids?
Gasta-se cerca de US$ 16 bilhões por ano em países pobres e de renda média (Fonte: Eyevine)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

No dia 5 de junho de 1981 o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) relatou o aparecimento de uma forma rara de pneumonia em Los Angeles. Semanas mais tarde, houve a constatação de um tipo raro de câncer em São Francisco. Os cientistas do CDC desconfiaram que algo estranho e grave estava acontecendo. Era a Aids.

Desde então, 25 milhões de pessoas morreram e outras 34 milhões estão infectadas em todo o mundo. Apesar disso, a guerra contra a Aids está indo melhor do que jamais se imaginou. A taxa de mortalidade em decorrência da Aids está diminuindo. Cerca de 5 milhões de vidas já foram salvas devido ao tratamento disponível.

Além disso, um estudo recente sugeriu que as drogas utilizadas no tratamento contra a Aids também podem impedir a sua transmissão. Caso isso se comprove, a questão não será mais se é possível acabar com a doença, mas sim se o mundo está preparado para pagar o preço.

Aplicação da ciência

Um número ainda insuficiente de pessoas está recebendo o tratamento. E mesmo assim não se trata de uma cura, pois há retrocesso caso os remédios deixem de ser tomados. Mas já é um grande avanço em relação há dez anos.

Além disso, o sistema imunológico de algumas pessoas controla a doença naturalmente — o que sugere que é possível criar uma vacina —, e foram descobertos anticorpos que neutralizam o vírus. A cura, no entanto, ainda parece muito distante. A prevenção — aliada ao tratamento — é no momento a melhor aposta.

Trata-se de uma grande tarefa. Para evitar a transmissão da doença, na teoria seria preciso expandir o tratamento para todas as 34 milhões de pessoas infectadas. Tal planejamento levaria anos e custaria muito dinheiro. Gasta-se cerca de US$ 16 bilhões por ano com a Aids em países pobres e de renda média. Metade deste total vem de fontes internas e a outra metade é proveniente de ajuda externa.

Leia mais:

Álcool mata mais que Aids e tuberculose

Fontes:
Economist - Thirty years of a disease: The end of AIDS?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *