Início » Vida » Saúde » O novo campo de batalha para o movimento ‘Morte com Dignidade’
New York Times

O novo campo de batalha para o movimento ‘Morte com Dignidade’

Massachussets pode se tornar o quarto estado nos EUA a permitir o suicídio assistido de pacientes com doenças terminais

O novo campo de batalha para o movimento ‘Morte com Dignidade’
Três estados nos EUA já autorizam o suicídio assistido (Reprodução/Internet)

Desde meados de setembro, um pequeno grupo de voluntários de Massachussets já reuniu cerca de 70 mil assinaturas com o objetivo de transformar o estado no quarto nos EUA onde doentes terminais podem requerer legalmente a assistência de médicos para pôr fim às suas vidas. Os organizadores, que chamam sua campanha de “Dignidade 2012”, só precisam de 70 mil votantes na petição para levar a questão às urnas do estado em novembro de 2012, mas para garantir que eles tenham o suficiente para passar pelo escrutínio, têm como objetivo chegar a 100 mil apoiadores. As assinaturas precisam ser entregues até o final de novembro.

O estatuto proposto, baseado em uma iniciativa aprovada pelos votantes do estado de Washington em 2008, permitiria a pacientes, cuja expectativa de vida é de menos de seis meses, a auto-administração de medicação letal.

A petição inclui uma longa lista de precauções e proteções: ampla orientação médica; dois médicos precisam verificar se o paciente é mentalmente apto e está agindo voluntariamente; e há um período de espera de 15 dias entre a primeira e a segunda solicitação, e mais 48 horas antes que a prescrição seja completa. Pelo menos uma das duas testemunhas à solicitação em escrito não pode ser um parente ou um herdeiro. E claro, o paciente sempre pode mudar de ideia.

Caso obtenha sucesso, a iniciativa apresentaria o Ato Massachussetts Morte Com Dignidade perante a Assembleia Legislativa estadual. Mas nenhuma assembleia jamais aprovou uma lei desse tipo. É seguro apostar que os legisladores de Massachussetts vão tentar contornar o assunto, o que levará a um referendo em novembro de 2012 e a um grande choque emocional em um estado fortemente católico.

A Conferência Católica de Massachussetts já denunciou a iniciativa em um relatório que afirma que “os bispos católico-romanos de Massachusetts permanecem firmes na crença de que uma sociedade compassiva deve trabalhar para prevenir o suicídio, que é sempre uma terrível tragédia, não interessa em que forma ele se dê.”

Nos estados onde o suicídio assistido recebeu a aprovação dos eleitores (Oregon em 1994 e de novo em 1997, e Washington em 2008) ou que falharam em consegui-la (Michigan em 1998, Maine em 2000), defensores de pessoas com deficiências, organizações antiaborto, grupos religiosos e outros se posicionaram firmemente contra a iniciativa. Mas a Igreja Católica e suas armas políticas foram responsáveis pela parte mais significativa das contribuições à campanha de oposição.

 

Fontes:
New York Times - The next death-with-dignity battleground

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

7 Opiniões

  1. Luiz Mourão disse:

    Ora, se o corpo é meu, e meus entes queridos concordam com o fim de minha Vida, quem tem o direito de meter o bedelho?????
    No fundo, no fundo, o suicídio assistido, ou mesmo a eutanásia, resiste no Brasil porque movimentos religiosos AINDA são donos da “moral” e da “ética” por aqui…
    Basta imaginar-se a si mesmo sofrendo por ANOS, querendo morrer, para aliviar as dores, e o mundo derredor impedindo em nome de falsas noções de Moral e Ética…
    Falácia das maiores!!

  2. wilson disse:

    O suicídio assistido, qdo bem refletido, abalizado é um direito inalienável. Quem pode decidir pelo outro, sentir suas dores, pesar e criticar suas razões? Muito fácil ficar detrás de uma mesa e negar o alívio a quem precisa c/ argumento de que a “viver é inquestionável”. Só quem convive c/ a dor ou c/as pessoas que sofrem diariamente c/ ela, sabem que não há “8 ou 80”. Nascer bem, viver bem e morrer bem é desejo e direito de todos. Somos hipócritas quando o assunto não atinge a nossa pele.

  3. EDINETE disse:

    NINGUÉM TEM O DIREITO DE TIRAR A VIDA DE OUTRA PESSOA E NEM MESMO A PROPRIA PESSOA TEM O DIREITO DE FAZER TAL COISA,SÓ DEUS.
    DEUS DÁ DEUS TIRA,ISSO É SUICÍDIO E QUEM COMETE SUICÍDIO PERDE A SALVAÇÃO,NÃO TEM PERDÃO.
    E SE A PESSOA ESTÁ SOFRENDO É POR ALGUM MOTIVO QUE SÓ DEUS SABE,ELA ´PRECISA PASSAR POR ESTE MOMENTO. .”VC ACHA SUA VIDA DIFÍCIL?
    PERGUNTA PRA JESUS SE FOI FÁCIL MORRER NA CRUZ.”

  4. Rogerio Faria disse:

    E aqui em terras tupiniquins quando começaremos a discutir aborto, eutanásia, legalização da maconha, jogos/cassinos. Com essas igrejinhas tomando conta da cocada a era do obscurantismo deve continuir ainda por longos anos.

  5. DI disse:

    Onde você passará a eternidade?
    Onde você passará o Natal e o Reveillon? Onde passará suas férias ou aquele feriado prolongado? Perguntas como estas são feitas constantemente, faz parte da nossa cultura ter o interesse em saber onde as pessoas passarão os bons momentos de suas vidas ou as datas mais importantes de nossos dias.

    Para as perguntas acima, sempre há uma resposta empolgante, alegre e muito animadora. Sempre há muita preparação, análises para ter certeza de que a viagem de férias vai ser boa mesmo, que a festa do Natal seja marcante ou que um simples final de semana seja prazeroso.

    Mas uma pergunta está acima de todas as feitas aqui: onde você passará a eternidade? Ou quais os preparativos você tem feito para um período tão extenso assim? Período este que terá apenas começo, mas não terá fim!

    A eternidade iniciará quando você descer a sepultura, seu corpo ficará ali e apodrecerá, mas a sua alma seguirá adiante e apenas dois caminhos a espera: o céu ou o inferno!

  6. DI disse:

    Escolhas erradas, sofrimento por perto.

    Fazemos escolhas a todo o momento. Pequenas e grandes, com efeitos imediatos ou em longo prazo. Infelizmente, nem todas as escolhas são corretas e quando fazemos escolhas erradas, invariavelmente o sofrimento vem junto.

    O primeiro contato com as drogas foi uma escolha errada, pensam alguns; aquela pessoa com quem me envolvi foi uma escolha errada, alegam outros. O primeiro gole da bebida, o envolvimento com negócios ilícitos, as más companhias, entre outros, são escolhas erradas que levaram muitas pessoas ao sofrimento.

    Ahh… Se eu pudesse voltar. Refazer. Recomeçar. Para muitos as noites são feitas de lamentações e pesadelos. Como seria bom voltar ao passado para evitar tantos problemas no presente.

  7. Renato Willian Vieira disse:

    Há quem diga que o brasil tem como regime político a democracia. Mas realmente vivemos em uma democracia?
    Vejamos; quando alguem fala-se em democracia, logo vem ao meu entendimento – liberdade de expressão. Entretando se e procurar em um dicionário de lingua portuguesa, o significado da palavra “liberdade”(Direito de proceder conforme nos pareça, contanto que esse direito não vá contra o direito de outrem.), terá uma conclusão imediata de que a palavra “liberdade” (democracia) está sendo banalizada. Não há mal em desejar que venhamos a ter democracia, embora seja um desejo muito afoito.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *