Início » Notícia » Pesquisa relaciona celular a bactérias em UTI
RESISTENTES À LIMPEZA DIÁRIA

Pesquisa relaciona celular a bactérias em UTI

Pesquisadora ressalta que celular não deve ser utilizado dentro da UTI

Pesquisa relaciona celular a bactérias em UTI
Pesquisadores coletaram amostras de superfícies como prontuários, bombas de infusão e colchões (Fonte: Reprodução/Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O uso de celular em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) foi apontado como uma das fontes de contaminação nestes locais, segundo uma pesquisa feita no Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto.

O estudo, que identificou bactérias resistentes à limpeza diária dentro das UTIs, foi realizado em parceria com a Comissão de Controle de Infecção do próprio hospital.

De acordo com a responsável pela coordenação da pesquisa, professora María Eugenia Guazzaroni, um dos objetivos era “conscientizar os próprios médicos e enfermeiras, que às vezes não respeitavam os protocolos que devem ser seguidos na UTI”.

María Eugenia ressalta que o celular não deve ser utilizado dentro da UTI, e que essa orientação não era completamente seguida pela equipe médica.

Os pesquisadores coletaram amostras de superfícies como prontuários, bombas de infusão e colchões antes e após a limpeza diária, e também analisaram equipamentos como celulares, monitores e teclados que estavam dentro da UTI.

Foram identificadas bactérias potencialmente patogênicas no local, isto é, que são capazes de provocar doenças e infecções. Muitos equipamentos médicos tinham gêneros patogênicos.

Sistema imune comprometido

A possível relação entre as bactérias encontradas na UTI com as infecções dos pacientes internados ainda será alvo de estudo. María Eugenia ressalta, no entanto, que “crianças ou adultos com o sistema imune comprometido, internados lá dentro, são muito vulneráveis. E uma bactéria que não é patogênica [para uma pessoa saudável] pode ser patogênica para eles”.

A pesquisa também alertou para o risco do uso de um mesmo produto químico na limpeza diária de UTIs, o que pode “levar as bactérias a adquirir rapidamente resistência a esse produto”.

Fontes:
Uol - Estudo da USP relaciona celular a bactérias resistentes à limpeza em UTIs

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *