Início » Vida » Smartphones prejudicam relacionamentos?
Tendências e Debates

Smartphones prejudicam relacionamentos?

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Uma pesquisa feita pela rede hoteleira Sheraton revelou que 35% dos usuários de smartphones optariam pelo aparelho caso tivessem que escolher entre seus BlackBerrys e seus cônjuges.

Oitenta e quatro por cento dos entrevistados disseram que verificam seus PDAs (assistente pessoal digital) antes de irem dormir e assim que acordam, 85% afirmaram que olham o aparelho no meio da noite e 80% checam seus e-mails antes do café da manhã. Além disto, 87% dos profissionais levam seus PDAs para o quarto.

A revolução tecnológica pode afetar diretamente as relações interpessoais, já que a comunicação acompanha estas mudanças.

Caro leitor, você acha que estar conectado o tempo todo atrapalha ou ajuda as relações pessoais?
Você acha que vale a pena trocar uma relação pessoal pela praticidade da tecnologia?

Fontes:
Economist - 35% of BlackBerry users would choose their PDA over their spouse

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

43 Opiniões

  1. Benedito Lacerda disse:

    Eu troco minha mulher com 20 anos de uso por um BlackBerry zerinho.

  2. Adilson Rocha disse:

    Eu aceito!

  3. Regina Maria Scotton disse:

    Há habitos que exagerados e repetidos necessitam ser analisados para notar se os mesmos são saudáveis ou patológicos.É importante distinguirmos a fronteira entre um e o outro e perceber a interfêrencia do uso que faço do BlackBerry a fim de que o que prevaleça é a humanidade das pessoas inseridas em qualquer tipo de relacionamento e o Blackberry não se torne um SEMI-DEUS.

  4. Ligia Thomazi disse:

    Quando um hábito se torna vício aí as coisas podem se complicar.

    No caso da tecnologia, as pessoas que normalmente são extrovertidas acabam virando antisocias e as que já não eram muito sociáveis se isolam mais ainda!

    Portanto estar O TEMPO TODO conectado, ligado na tecnologia é sim prejudicial, te coloca num mundinho completamente fechado! Mas, quando o hábito é controlado e controlável, não há prejuízo.

    Trocar as suas relações pessoais por qualquer outro tipo de coisa, como a própria tecnologia, não vale a pena nunca…

    Cidade São Paulo – SP

  5. Nathália Flores disse:

    A tecnologia está à nossa disposição para suprir nossa falta de tempo, nossa "correria, com sua praticidade e rapidez de execução. Porém, o número de pessoas que dá mais atenção aos aparelhos eletrônicos do que a uma convivência com as pessoas é cada vez maior.

    É visível a interferência do "vício" que algumas pessoas têm por seus aparelhos, em suas relações. Mesmo que a pessoa mais próxima de nós não note isso de forma clara (talvez porque também esteja com seu aparelhinho!), sente consciente ou inconscientemente a falta de diálogo, atenção, carinho.

    Quando nos dermos conta, estaremos tão envolvidos em nosso mundo virtual, que já será feita outra pergunta :—Será q as relações pessoais interferem no nosso tempo de conexão à internet??

    É bom parar pra pensar!

  6. heloisa disse:

    Adilson e Benedito deveriam ganhar os ingressos para o cinema, e assim salvaríamos o casamento com um blackberry ou com aquela mulher excepcional e tolerante. As mulheres que responderam até aqui com muito acerto já largam os seus berries mas podem ser viciadas em cinema

  7. Luís Bustamante disse:

    Se um relacionamento é passível de interferência de qualquer tecnologia, é porque este não é sólido o suficiente. É o como o uso de drogas: ninguém o faz se não tiver, em seu íntimo, algum conflito, mínimo que seja.
    Creditar quebra de relacionamento social a tecnologias ou qualquer agente externo é uma posição cômoda. É mascarar a realidade.

  8. Jefferson Tavares disse:

    Com certeza é prejuducial, a necessidade da informação em tempo real nos dias de hoje está transformando pessoas em escravas da informação, certamente causará transtornos psicológicos a curto ou longo prazo. Cada qual precisa nivelar e moderar toda essa relação.

  9. João Demetrio disse:

    Temos que ter muito cuidado quando nos deparamos com pesquisas dessa natureza. Vejamos: qual o perfil das pessoas que utilizam aparelhos do tipo smartphone?Pelo preço de mercado, estes "gadgets" não são acessíveis a qualquer pessoa mas àqueles

    que pelo seu poder aquisitivo desenvolvem atividades no mundo dos negócios. Assim, não é de se estranhar que uma rede hoteleira seja responsável pela encomenda da pesquisa e que esta apresente um índice tão elevado para o interesse nos tais aparelhos. Pergunta-se: qual o objetivo da pesquisa? Quais segmentos da população estavam representados nela?Quantas pessoas foram consultadas (aliás, quem já foi entrevistado por alguma empresa dessa natureza?Quem conhece ou já viu algum entrevistador de alguma dessas empresas?). No meu ponto de vista, existem fatores mais abrangentes responsáveis pelos conflitos de relacionamento que não os desta pesquisa.

  10. Percio disse:

    Para quem observa nossa sociedade fica claro que a mesma tecnologia que ajuda, economiza, facilita e cura é a mesma que provoca rupturas, neuroses, patologias e… queda nos níveis de relacionamento. Hoje precisamos de um apagão pra família se reunir na sala e bater papo descontraidamente, precisamos de um(única vantagem…) horario de propaganda política na TV pra desligá-la e quem sabe pegar um livro, precisamos de uma pane no computador pra ir conversar com o pai ou o irmão mais velho… pra saber como consertar. E mais do que evidente que os indivíduos que participaram das pesquisas citadas estão doentes. Sofrem de ansiedade, de medo, são solitários e buscam desesperadamente o apoio e a companhia que não encontram com seus pares, pois os mesmos estão também muito ocupados com seus afazeres e entretenimentos "high tec". Precisamos de uma nova tecnologia, diriam alguns, capaz de curar as enfermidades da alma ou da psique como querem outros, precisamos disso, precisamos daquilo, mas ninguém fala o que realmente se precisa: mais generosidade e tolerância com os seus próximos, mais desprendimento e misericórdia nos seus relacionamentos, menos ambição e menos egoismo nas suas atitudes. Buscar significado da sua existência em outras paragens, sabedor de que as melhores coisas da vida não são coisas, ou simplesmente estar conectado.

  11. Tiago Braga disse:

    Tudo na vida tem os seus prós e contras e a tecnologia está muito bem dentro desse conceito. Hoje todos estão ligados o tempo todo, Messenger, sites de relacionamentos, email, etc. Tudo isso é perfeitamente aceitável na vida do dia a dia hoje e até muitas vezes tem se tornado indispensável a muitas pessoas. É de grande importância toda essa ligação por meios eletrônicos, virtuais. Tudo e todos ficam mais perto, mais acessíveis. Em contrapartida acredito que essas ligações virtuais atrapalham os relacionamentos pessoais, distancia cada vez mais as pessoas e torna algumas pessoas difíceis de se relacionar. O que deve acontecer é sempre uma boa "dosagem" no que se diz respeito aos relacionamentos pessoais e virtuais, pois ninguém no mundo pode viver sem boas amizades e companhias de verdade, não por um gadget online.

  12. Paulo Galdino disse:

    É muito importante vivenciar a evolução da tecnologia orientando-a para nosso auxílio. Manter o controle de qualquer atividade bem como dos elementos que a envolvem é seguramente uma tarefa de difícil solução. Até porque em determinados segmentos ao que parece pessoas não conseguem sequer dormir para não perder "oportunidades".

    Então, considerando que relações pessoais poderiam e deveriam ser mais estimuladas entendo que é o momento de rever procedimentos que tornam "necessidades comerciais" como elemento primeiro em nosso comportamento. Então tudo aquilo que distanciar o relacionamento entendo como nocivo, porque o que deve fazer a diferença é o contato pessoal e não o virtual.

    Minha cidade é SÃO PAULO/SP.

  13. mauri Toni Dandel disse:

    Não há como escolher entre a tecnologia e a vida pessoal ou conjugal. É evidente que, muitas vezes, a tecnologia atrapalha, pois tira o nosso sossego. Entretanto, da forma como estamos levando nossa vida atualmente, é impossível vivermos sem tecnologia. O telefone celular foi um deles, os computadores são outro exemplo e os iPhone, smartphone, também mostram que o ser humano é carente de tecnologia e quer estar cada vez mais "ligado" no mundo. Tanto que estas invencionices tecnológicas cada vez fazem mais sucesso, ou seja, se fazem sucesso, é porque tem alguém carente por isso e, tão logo surja, vai lá e compra.

    Dizer que escolhe a tecnologia ao cônjuge é algo que não deve ser pensado. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Assim como a tecnologia atrapalha na vida pessoal e conjugal, pode atrapalhar na vida profissional, onde se perde muito tempo com "cultura inútil" do que no trabalho em si.

    A tecnologia pode atrapalhar, mas ela muito mais ajuda – e como ajuda! – do que atrapalha.

    Cada pessoa tem que ter a responsabilidade de se "desconectar do mundo" quando achar que precisa de sossego. Ninguém pode ficar o tempo "ligado".

  14. Pri Alves disse:

    O uso frenético da tecnologia, o estar conectado 24/7 e o trocar estar junto pela praticidade da tecnologia, deve ser dosado como tudo na vida. equilibrio é uma palavrinha ótima. os extremos que geralmente viciam, não fazem bem.

  15. Jorge Wellington disse:

    .Muitas coisas atrapalham as relações e alguns usam, dentre varias coisas, a tecnologia como um refugio.
    .Então será a tecnologia a causadora ou o escape?
    .Então se estão percebendo um problema e querem resolver tem que ter atenção para não cometer equívocos.

  16. Gidalmo B. Santos disse:

    SMARTPHONE significa celular inteligente e a combinação de telefone com celular com PDA (Assistente Personal Digital). Significa que é possível que qualquer pessoa desenvolva programas que podem funcionar nesses telefones, é quase um verdadeiro computador, é um celular com funções avançadas, e o sistema operacional dele é aberto, então qualquer pessoa pode usar e descobrir seus planos e segredos; SMARTPHONES prejudica relacionamento sim. (Gidalmo B Santos / Salvador Ba. gyll_2006@hotmail.com

  17. barbara disse:

    Ajuda as relações pessoais a um certo limite, devido o ser humano não conseguir ter um contato mais direto ou ser mais claro com o proximo, assim ele desfruta de uma forma diferente de se expressar e, tendo um relacionamento mais proveitoso.
    Porém se não tiver um controle deste autominio da tecnologia poderá se torna um ser com razões incaceitáveis ou seja, sem critérios para opinar ou agir, que nem ele próprio poderá compreender.

  18. Antonio Carlos Lemes disse:

    Minha opinião é que se bem utilizados, quaisquer aparelhos, seja rádio, tv, celular, smarthphones, ou qualquer outro meio de comunicação, de forma alguma prejudicará nosso relacionamento com quem quer que seja. Basta que observemos a hora pra cada coisa. Temos regras a obedecer, por exemplo, hora de começar a trabalhar, de alimentar, de repousar, enfim tudo em seu horário. Agindo dessa maneira haverá tempo hábil pra conciliarmos tudo.

  19. Renato Cesar de Oliveira Moreira disse:

    A tecnologia é o que nos difere dos outros habitantes da Biosfera e, sem ela, ainda estaríamos vagando pelas savanas da África coletando meios de subsistência. Portanto, a tecnologia trouxe benefícios e malefícios. Mas, a diferença entre o remédio e o veneno é apenas a dose.

  20. Alexandre Macedo disse:

    Acredito que uma relação entre pessoas é infinitamente mais prazerosa que uma relação virtual, haja visto as irritantes relações eletrônicas. Imagine um encontro assim : Se você quer um cafuné (digite 1), se quiser um beijinho (digite 2) ou os frios encontros nos msns e orkuts da vida. Nada substitui o calor de um corpo.

  21. Wander Veroni Maia disse:

    Olá! Acredito que o uso de aparelhos eletrônicos mostra uma nova tendência comportamental do ser humano: a dependência tecnológica, tanto para contatos com amigos e familiares, quanto para trabalho. Pautas de informática e tecnologia já se transformaram em pautas de comportamento também.

    Abraço,

    ———————
    http://cafecomnoticias.blogspot.com

  22. Pâmela Pinto disse:

    A tecnologia tem que ser usada com inteligência, afinal o objetivo é otimizar o tempo e não isolar o homem. Não acredito que as pessoas precisem ficar bitoladas no trabalho 24 horas, sem estabilidade emocional não há produtividade. E o fundamental, não trocaria uma boa companhia por um Iphone, afinal os smartphones não proporcionam orgasmos.

  23. claudio schamis disse:

    A tecnologia pode tanto ajudar quanto atrapalhar. Se formos em um contexto avaliar a tecnologia e as relações humanas, esta está atrapalhando e muito. As pessoas estão cada vez mais atreladas às teclas do computador, escondidas atrás de nick names fantasiosos, muitas vezes não temos como saber até onde vai a realidade ou a fantasia da pessoa com quem estamos teclando. A tecnologia permite o sexo a distância, o beijo a distância, o relacionamento a distância. Isso o torna mais seco, mais impessoal, mais virtual. E em todos os sentidos. Não é mais necessário para muitos o contato físico. Esse está sendo trocado, substituído. Uma relação pode sim começar pela internet, mas se sustentar é complicado e até impossível, pois o olho no olho é fundamental, assim como o toque.

  24. Ricardo Santos disse:

    Acredito que as relações sejam elas quais forem são prazerosas. Mesmo uma relação com uso de tecnologia ou não se prolongada torna-se chata. O interessante é ousar do novo sem abusar. Afinal feijão todo dia enjoa (imagine o dia inteiro).

  25. Reinaldo S Guth disse:

    Salve!

    A tendêndia do Homem moderno é tornar-se cada vez mais prático.

    Sabendo disso, nós, usuários de Smartphones, estamos atentos e organizados à dinâmica do nosso convívio.

    Quando percebo que qualquer coisa, incluindo meu PDA, está interferindo no fator social/humano, creio que a escolha é unânime: DESLIGA.

    "Devemos dar atenção aos motivos pelos quais trabalhamos… nossa familia!!"

    Abraços.

    Reinaldo S Guth – webmaster

    http://www.reiwolf.com.br

  26. Jorge Bukowski disse:

    Em nossa opinião esse assunto é muito sério.

    Particularmente, minha namorada não larga seu celular nenhum segundo, inclusive em momentos de intimidade.

    Parabenizo o site pela matéria atualíssima!

  27. marcelo disse:

    Ficar conectado 24/ só bom quando se é solteiro e caçando uma outra solteira pra um final de semana que será divertido.
    Depois que já caçou e está com um relacionamento prolongado, é hora de deixar a conexão só pro horário comercial (ou dependendo da necessidade do trabalho).
    não vale a pena trocar um relacionamento por uma praticidade tecnológica.

  28. André disse:

    Acredito que o meio só se torna expressivo nesta questão quando nós aplicamos a ele a utilidade para realizar nossos desejos. Já dizia Fernando Veríssimo, "O desejo trai". Os meios de comunicação e a facilidade trazida pela Tecnologia da Informação não são determinantes nos términos e crises de relacionamentos, o que realmente conta, é falha na comunicação do casal: seja ela escrita, digitada, gravada. Por isto acredito que devemos pensar na variável "comportamento" e não "tecnológica".

  29. wiliam disse:

    penso que as pessoas estão se distanciando cada vez mais umas das outras. Email, chat, msn, orkut, coisas que deveriam aproximar, cada vez mais afastam. As pessoas cada vez mais sem tempo, para se verem.
    Nos tornamos muito individualistas.
    Procuro usar cada vez menos estes sistemas de afastamento humano.

  30. ANTÔNIO CARLOS ALVES disse:

    Como em qualquer coisa na vida é preciso de equilíbrio. E esse ponto de equilíbrio é a chave para uma vida feliz.
    Dizer que tecnologia atrapalha, sim desde que ela crie dependência para a pessoa que a usa. Lembremos que toda essa tecnologia deve ser usada como um "meio" para uma "finalidade". Se invertermos dando a condição de "finalidade" para esse "meio", sim, ela se torna prejudicial em qualquer aspecto de relação humana. O objetivo deve ser o de aproximar sempre as pessoas, retornar à nossa humanidade, soterrada por uma série de falsos "conceitos" ou "valores" impostos por interesses excusos e lucrativos. Depositamos e extra-valorizamos nossa esperanças nos aspesctos tecnológicos, quando esquecemos que por trás disso tudo existe o ser humano com a sua capacidade e limitação de inventar e transformar.Portanto, creio que se for usado smartphone como deve ser feito com uma bebida alcóolica, isto é, com moderação não atrapalha relacionamentos. Caso contrário, já sabemos o que vai resultar. Abraços e beijos fraternos aos idealizadores deste espaço e a todas as pessoas que emitiram a sua opinião. Até breve.

  31. weller marcos da silva disse:

    A evolução científica do Planeta e do próprio Homem tem sido fantástica! A cada 50 anos, comparamos e observamos essa mudança com maior nitidez e observamos estarem distantes as condições humanas anteriores – semelhante a um elo perdido. Certamente, também estarão remotas as do homem atual daqui a outros 50. O interessante é a percepção de, na medida em que acontece tal transformação, o Homem revelar, inquestionavelmente, sua personalidade individualista: reclusão voluntária e profunda valorização do próprio ego. Realidade que o torna insensível aos interesses e problemas do seu semelhante, e até do próprio par. Igualmente apático aparenta estar aos interesses das gerações futuras. Um dia desses, abandonará o próprio Planeta, deixando para trás tudo o que descobriu, construiu e destruiu. Andará em busca de novos experimentos, outras evoluções e revoluções. Não culpemos a máquina, ela é apenas um dos instrumentos criados por este Ser que ainda não está definitivamente construído.

  32. Bruno Giovanni Campana Murari disse:

    Boa noite a todos.
    É admirável ver como a engenhosidade humana consegue transportar a intensidade das relações para novas plataformas e em dimensões jamais imaginadas há apenas alguns anos atrás.
    O surgimento de novas tecnologias foi sempre sinônimo de aparecimento de novas formas de comunicar. Quer pensemos nas pinturas rupestres ou na invenção da prensa gráfica por Gutenberg, acabamos por chegar à conclusão que o fenômeno "comunicação" nunca esteve parado no tempo.
    O que dita esta evolução é a simplicidade ou a complexidade que a linguagem pode adquirir, independentemente da forma ou ainda do conteúdo, mas tão simplesmente a possibilidade. A possibilidade de enviar uma folha de papel para o outro lado do atlântico, a possibilidade de juntar uma fotografia, uma gravação áudio/vídeo… Estas novas adições caracterizam a forma de como nos comunicamos.
    Na “vida real” podemos mentir, enganar, dentre outras coisas, mas corremos sempre um alto risco, o que muitas vezes nos força a não agir desta forma “errada”.
    Na “vida virtual” podemos realizar quase todas as ações da “vida real”, mas com menos riscos, já que não precisaremos encarar as conseqüências de nossos atos na maioria das vezes. Logo a tecnologia pode oferecer “proteção” para nós. É isso que a torna tão atrativa.
    Virtualmente todas as pessoas podem ser altas, magras, fortes, bonitas, ricas, inteligentes, atraentes, ou seja, especiais, já na realidade nem sempre estas qualidades são válidas para estas mesmas pessoas.
    Se a “proteção” que a tecnologia pode nos proporcionar for utilizada com sabedoria e cautela, ela acaba sendo mais que suficiente para atrair a mente humana e fornecer uma alternativa ao relacionamento interpessoal.
    Hoje em dia experimentamos uma sensação similar a que os chamados “Hackers” vêm vivenciando desde os primórdios do surgimento da tecnologia computacional. Esta sensação é tão cativante e intensa que cada vez mais optamos menos pelo relacionamento interpessoal.
    Podemos dizer que hoje em dia um celular, notebook, smartphone, ou qualquer outro tipo de parafernália eletrônica concentra a maioria das qualidades que buscamos em outro ser humano, ou seja, um smartphone jamais nos trairá, não vai nos culpar por esquecer a data de sua fabricação, gastaremos menos dinheiro em sua manutenção do que um parceiro humano, não nos culparemos por trocá-lo se estiver estragado ou se ficar velho, se nos cansar basta apertar o botão de desligar, não reclamará se estivermos pesando 40 ou 200 quilos e nem se estamos bonitos ou acabando de acordar de uma noitada, dentre outras circunstâncias possíveis. Todas essas características acabam por gerar uma relação de dependência capaz de ser mais estável e duradoura do que uma relação de amizade ou amorosa com outra pessoa.
    Bom para terminar gostaria de dizer que sou estudante do 4º ano do curso de Engenharia de Computação da Universidade Estadual de Ponta Grossa e consigo compreender toda essa relação entre o homem e a máquina, mas que não trocaria por nada a incerteza da vida por uma relação com um equipamento eletrônico, pois a beleza da vida está na imperfeição e na casualidade dos eventos e não na perfeição e certeza eletrônica.

  33. CLAUDIA MEDEIROS disse:

    A evolução tecnológica nas comunicações é uma grande conquista da humanidade. Hoje, graças a esta evolução, as pessoas do mundo todo interagem muito mais. As Cias Aéreas confirmam isto. Nunca na história da humanidade as pessoas viajaram tanto. Ou seja, esta facilitação da comunicação aproxima as pessoas globalmente. Historicamente toda evolução na comunicação reflete nos meios de tranporte.
    Quanto a possibilidade de instrumentos como os smarthphones prejudicarem as relações interpessoais eu penso que não.
    Não se trata de optar por uma ou outra relação, mas sim, de usar uma ferramenta como complemento e facilitador da comuniçã seja pessoalmente ou profissionalmente.
    Um indivíduo que faz uso destes recursos tecnológicos em substituição do contato humano, com certeza é alguem que não se encontra num estado mental saudável.

  34. Adilson Rocha disse:

    A televisão e os vídeos, desviaram o interece das pessoas pelo cinema, o que era romântico; agora esse BlackBerrys, pode tirar a atenção da pessoa quanto aos seus deveres familiares.Mas eu acho que cada um que utilize essa tecnologia não deve permitir que atrapalhe os laços familiares.{Pra Tudo Ha Um Tempo}.

  35. Fábio disse:

    A tecnologia é excelente, mas infelizmente distancia cada vez mais as pessoas

  36. Mira Magalhaes disse:

    Bom…a mim não atrapalha, pois nada substitui o contato fisico,o ver, o está proximo..mas pode atrapalhar,no sentido de causar ciumes. Mas acredito que a tecnologia, não atrapalha, o que na verdade atrapalha é o relacionamento mal ajustado.

  37. Jefferson Colusso disse:

    Os smartphones estão alterando o ponto de equilíbrio entre a vida profissional e a particular, pois o ponto chave é a capacidade de converter tempo ocioso em tempo produtivo, além de possibilitar total mobilidade. Continuar tarefas fora do escritório – seja no transito, no mercado, na rua, fazem a diferença entre os smartphones e os celulares comuns.

    Para as empresas isso é perfeito, não é mesmo? Mas e para sua vida pessoall? Será que essa facilidade toda não tem um outro lado que é a mistura da vida pessoal com a profissional, dificultando ainda mais a separação entre o momento de trabalho, o descanso e seus relacionamentos.

    Acredito que estes aparelhos são uma ótima ferramenta de trabalho, mas de certa forma invadem a sua vida, mas é preciso ter cuidado, a linha que limita o uso na vida profissional e pessoal é bem tênue.

    Adoro o BlackBerry, pois com ele consigo reduzir meu tempo na empresa lendo e-mails e ganho mais tempo para passar com as pessoas que gosto. Não preciso mais ficar em casa ou na empresa esperando por uma resposta via e-mail, ou para procurar informações na Internet.

    Posso conversar com amigos via chat… isso também é relacionamento, é claro que não podemos viver apenas no virtual, como tudo o que não ponderamos na vida pode virar um vicio, o smartphone também.

    Como diz o ministério da saúde, “use com moderação”.

    Jefferson Colusso
    http://www.blackberrycorporativo .com.br

  38. alex disse:

    O que cabe é o bom senso. A tecnologia nos ajuda a acompanhar as mudanças, que por conta desta mesma tecnologia ocorrem com muita rapidez. Fora isso em nada deve ser comparado ao relacionamento com as pessoas. É preciso que hja distinção.

  39. Moises disse:

    Saudações, na minha opinião eu acho que ajuda. Eu sou uma das pessoas tecnomaniacas, levo meu celular para o banho e atendo-o mesmo com as mãos molhadas, ou fazendo algo. Só desligo o celular para manter relação sexual, pois aí não tem como deixa-lo ligado. Mas em relação aos Smart”s, acho que depende muito do que se trata, dos motivos de cada um, pois as vezes criticamos sem saber, e podem ser que seja por motivos de serviço.

  40. Marcos Martins disse:

    Em minha opinião não atrapalha, dês de que você saiba dividir trabalho e vida pessoal. Com essa tecnologia você consegue ter mais "liberdade", pois não é necessário que você esteja preso a um computador para responder seus e-mails. Eu trabalho na área de tecnologia da Record, e acompanho a facilidade que a tecnologia traz para vida das pessoas.

  41. Elvira Maciel disse:

    Não entendo, são coisas tão diferentes! Há que se saber porque estas pessoas dependem tanto de seus smartphones, que novidades esperam em suas vidas, já que esta é insuficiente. É impossível desligar um aparelho celular em circunstâncias normais em determinados horários? Trata-se de trocar relacionamentos virtuais por reais? Tá na hora de pensar o que você tem e o que quer da vida, não?

  42. Elvira Seixas disse:

    Não, são coisas tão diferentes! O que alguém espera ao conectar-se 24 horas por dia? Novidades, pois a vida atual não basta? Notícias? Em circunstâncias absolutamente normais não conseguir desligar o aparelho e, sobretudo, desligar-se DO aparelho, sei não… Acho que tá na hora de pensar um pouco na vida que tem e na que gostaria de ter (aquela que virá pelo smartphone, "se Deus quiser").

  43. Luciano Bueno Francisco disse:

    ninguem gosta de ser trocado – “quem nao da assistencia da mole pra concorrencia”.
    ficar muito ligado ‘a www, esquece de conectar-se com o meio, com os proximos e consigo mesmo, equilibrio e’ fundamental.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *