Início » Vida » Ciência » Superexploração do planeta atinge níveis cada vez mais alarmantes
Consumismo

Superexploração do planeta atinge níveis cada vez mais alarmantes

Humanidade aumenta anualmente a quantidade de recursos naturais que consome e o planeta não consegue suprir a demanda

É comum ouvir que a exploração do ser humano leva o planeta além dos seus limites. Esse ano o ápice foi atingido mais cedo do que nunca. No dia 13 de agosto, a humanidade terminou de extrair tudo que o planeta pode oferecer durante um ano, ou seja, o que será consumido deste dia em diante deveria estar guardado para as próximas gerações. Esse dado é calculado pelo centro de pesquisa americano Global Footprint Network e estabelece-se o “Dia do Limite da Terra”.

O cálculo é feito comparando as demandas do ser humano pelos recursos da natureza, como material para construção, alimentação, absorção de gás carbônico e lixo, e o que pode ser gerado anualmente pelo planeta para suprir essa procura. O primeiro ano em que a exploração superou a produção foi em 1970, quando os recursos se esgotaram no fim de dezembro.

Hoje em dia, o estudo mostra que a população mundial usa mais do que 150% do que a natureza pode fornecer e o Dia do Limite tem acontecido cada vez mais cedo. Um dos países que mais excede a meta é a Grã-Bretanha, que utiliza três vezes mais suprimentos do que produz. Se todos os outros países chegarem a esse patamar, em maio todos os recursos naturais já estarão esgotados.

Redução no consumo é alternativa

Os pesquisadores buscam saídas para resolver o problema, uma delas é a redução no consumo. Alguns países já adotaram ações nesse sentido, como a proibição de publicidade para crianças ou propagandas em locais públicos.

“Se você troca de celular todo ano ou enche o armário de roupas que só usa uma vez, ou compra mais comida do que precisa e acaba jogando o resto fora, não está contribuindo para o bem-estar geral e sim aumentando o alto nível de consumo”, disse o pesquisador sênior da New Economics Foundation, Saamah Abdallah.

Outras ações necessárias aos governos é o incentivo ao uso de transporte público, diminuindo o consumo de automóveis e as emissões de gases estufa. Para isso é necessário um serviço de qualidade e alternativas, como bicicleta ou veículos que utilizem fontes renováveis de energia.

Fontes:
BBC-Para salvar o mundo, precisaremos de uma 'economia de guerra'?

2 Opiniões

  1. carlos alberto martins disse:

    caro Èlio.concordo com voce.os maiores opositores ao controle da população são a igreja e seitas religiosas,visto que quanto maior o número de miseraveis,maior a arrecadação de dízimos de coitados que vão em busca de falsos milagres.temos tambem os politicos que tudo prometem para um povo que está indo sem rumo.minha maior previsão é que no futuro,para nos alimentar,iremos comer nossos semelhantes,devido a falta total de alimentos.quem sobreviver verá.

  2. Élio J. B. Camargo disse:

    Não adianta educar em menor consumo. Temos visto isso. A causa básica disto é o aumento populacional. Basta incentivar (proibir, como a China?) e ajudar a fazer menos humanos. O Brasil aumentou desde 1970, 126 % sua população. Sexo não tem nada a ver com nascimentos. Fazer uma casa precisa-se um projeto e autorização. Para se fazer humanos é bem mais banal, pois não precisa nada disso.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *