Início » Economia » Como a geladeira revolucionou o comércio internacional
CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS

Como a geladeira revolucionou o comércio internacional

Técnica de refrigerar alimentos perecíveis possibilitou o transporte para longas distâncias, ampliando horizontes para o comércio

Como a geladeira revolucionou o comércio internacional
A geladeira revolucionou a maneira de se fazer comércio no mundo (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Presente em grande parte dos lares, a geladeira é hoje um dos aparelhos domésticos mais essenciais. A capacidade de conservar alimentos perecíveis influenciou o nosso cotidiano e a forma como nos alimentamos.

Porém, a geladeira teve um papel ainda mais profundo nos negócios e revolucionou a maneira de se fazer comércio no mundo. A emissora britânica BBC incluiu o eletrodoméstico na lista dos 50 objetos mais importantes da economia moderna.

O aparelho que conhecemos hoje para uso doméstico foi criado na década de 1910, mas a técnica de resfriar alimentos existe desde o século XVIII e foi de extrema importância no comércio internacional.

A técnica de produzir baixas temperaturas artificialmente foi desenvolvida na metade do século XVIII pelo médico americano John Gorrie e sua técnica vinha sendo aperfeiçoada na Europa. Entretanto, ainda não se sabia como aplicar esse conhecimento comercialmente. Por isso, muitos alimentos comercializados até então não podiam ser levados por longas distâncias, já que apodreciam no trajeto

Eis que em 1876, o governo argentino ofereceu um prêmio para quem inventasse uma forma de refrigerar carne para que o alimento fosse exportado. Então, o engenheiro francês Charles Tellier instalou um sistema de refrigeração em um navio – Le Frigorifique –, e transportou um carregamento de carne até Buenos Aires. Após 105 dias navegando, a carne chegou em boas condições.

Essa mesma técnica de resfriar navios foi repetida dois anos depois pelo marinheiro americano Lorenzo Dow Baker, que mais tarde cofundaria a empresa de alimentos United Fruit Company. Em uma viagem à América do Sul, Baker precisou parar na Jamaica por conta de problemas na embarcação. Lá, decidiu comprar bananas para revendê-las no nordeste dos Estados Unidos.

Embora se tratasse de uma viagem longa, as frutas chegaram ao país em boas condições e fizeram sucesso na costa americana. No entanto, como o tempo de vida útil das frutas era praticamente equivalente à duração da viagem, impossibilitando a venda no interior dos Estados Unidos. Os navios refrigerados foram a solução encontrada por Baker.

Já em meio ao século XX, o transporte de perecíveis por mar já era disseminado, mas por terra ainda encontrava deficiências. Foi aí que o engenheiro de som americano Frederick McKinley Jones criou a empresa Thermo King, que criou uma cadeia global de suprimento que mantém alimentos e outros produtos perecíveis sob temperaturas controladas em unidades portáteis. Essa tecnologia possibilitou a revolução até mesmo na saúde, já que o transporte de medicamentos para regiões remotas ficou mais fácil.

Ao longo do tempo, os refrigeradores abriram um leque de opções alimentares para a população mundial, melhorando a nutrição, e fez com que as pessoas tivessem mais tempo para desempenhar outras tarefas, já que não era necessário mais comprar alimentos e cozinhá-los no mesmo dia. Dessa forma, a invenção da geladeira conseguiu também alterar o mercado de trabalho no mundo.

Fontes:
BBC-Como a invenção da geladeira mudou a história - e a forma como fazemos comércio

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *