Início » Pelo Mundo » Controladores de tráfego aéreo podem usar sinais de TV para guiar aviões
Radar de baixo custo

Controladores de tráfego aéreo podem usar sinais de TV para guiar aviões

Sistema experimental de radar contará com uma rede de receptores para captar programas de televisão

Controladores de tráfego aéreo podem usar sinais de TV para guiar aviões
É difícil imaginar clássicos da TV sendo utilizados para detectar aviões (Reprodução/Reuters)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em breve, um novo tipo de radar ajudará a monitorar os aviões que sobrevoam Londres. Radares convencionais usam uma antena rotatória para observar o céu, enviando sinais de rádio e detectando aqueles que são refletidos pelos aviões. O sistema experimental que começará a operar em junho não gera nenhum sinal próprio, mas, ao invés, conta com uma rede de receptores para captar programas de televisão.

É difícil imaginar clássicos da TV britânica sendo utilizados para detectar aviões. Mas isso, na verdade, é o que está acontecendo. Ao medir as diferenças sutis entre o sinal de transmissão original e os sinais refletidos por aviões que sobrevoam a região, é possível monitorar os avanços de um avião em uma tela, assim como fazem os radares convencionais. A diferença é que um sistema que depende de sinais que já estão no ar pode ser mais simples, barato e consumir muito menos energia.

Os testes de Londres estão sendo administrados pelo Thales UK, um grupo de engenharia; Roke Manor Research, uma consultoria de pesquisa e desenvolvimento; e NATS, a operadora do controle de tráfego aéreo britânica. Tal empreitada conta com o apoio do Conselho Estratégico de Energia britânico. O grupo chama o seu sistema de radar de monitoramento primário multiestático. (MSPSR, na sigla em inglês). Trata-se de uma forma de radar “passivo”, tecnologia que já existe há algumtempo.

O setor da aviação é cauteloso em adotar novas tecnologias en masse, de modo que há muito que fazer para que o radar convencional seja trocado por sistemas passivos. Mas é possível que os governos estejam tentados a fazê-lo, por razões que transcendem os custos operacionais mais baixos dos radares passivos. Com uma demanda crescente por dispositivos com conexão sem fio, os radares passivos permitiriam que o espectro de rádio atualmente usado pelos radares convencionais fosse desocupado e leiloado para operadoras de telefonia móvel.

Fontes:
The Economist-A programme worth watching

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *