Início » Internacional » Instagram cria filtro para reduzir acesso a conteúdo sensível
TECNOLOGIA

Instagram cria filtro para reduzir acesso a conteúdo sensível

Anúncio foi feito após a morte de uma adolescente britânica, cujos pais atribuem o suicídio à visão de imagens de automutilação e suicídio na rede social

Instagram cria filtro para reduzir acesso a conteúdo sensível
O Instagram irá cobrir imagens de autoflagelação e suicídio com telas de aviso sobre seu conteúdo (Foto: Max Pixel)

Segundo o CEO do Instagram, Adam Mosseri, uma nova função do aplicativo irá exibir “telas de aviso de conteúdo sensível” para dificultar o acesso a imagens de autoflagelação e suicídio em uma tentativa de proteger seus usuários.

Esse anúncio foi feito após a morte da adolescente britânica Molly Russell, de 14 anos, cujos pais atribuem o suicídio à visão de imagens de automutilação e suicídio no Instagram e no Pinterest.

O Instagram irá cobrir imagens de autoflagelação e suicídio com telas de aviso sobre seu conteúdo. Ciente do aviso, caberá ao usuário a decisão de acessar a imagem.

Em entrevista ao jornal Telegraph, Mosseri anunciou a contratação de “engenheiros e revisores de conteúdo experientes”, que estão trabalhando para dificultar ainda mais o acesso a fotos e vídeos de automutilação e suicídio.

Ainda de acordo com Mosseri, o Instagram dará mais apoio às pessoas que sugerirem em suas postagens a intenção de se autoflagelarem ou de cometerem suicídio, conectando-as com ONGs como a Papyrus e a Samaritans, que ajudam pessoas com potencial autodestrutivo e tendência suicida.

As declarações de Mosseri foram feitas uma semana depois que o Facebook recebeu um ultimato do secretário de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, para controlar o acesso a imagens de conteúdo sensível no Instagram.

“É assustador constatar como é fácil acessar esse conteúdo online tão prejudicial ao equilíbrio mental, sobretudo entre os jovens. Como secretário de Saúde, tenho uma preocupação especial com conteúdos online que incentivam a autoagressão e o suicídio”, escreveu Hancock no final de janeiro.

“O suicídio é a principal causa de mortes de jovens com menos de 20 anos no Reino Unido. Os casos de automutilação estão aumentando entre os adolescentes do sexo feminino. É terrível pensar que Molly Russell, de apenas 14 anos, tenha cometido suicídio por influência de imagens na internet. Plataformas como Instagram precisam adotar medidas mais rígidas de controle de conteúdo”, acrescentou Hancock em seu comunicado.

 

Leia também: A desconexão em um mundo hiperconectado

Fontes:
The Guardian-Instagram to launch 'sensitivity screens' after Molly Russell's death

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *