Início » Pelo Mundo » Skype permite que usuários enviem mensagens indetectáveis
Segurança na internet

Skype permite que usuários enviem mensagens indetectáveis

Pesquisadores conseguem criar modo de enviar mensagens secretas via Skype

Skype permite que usuários enviem mensagens indetectáveis
Nem mesmo agências de inteligência serão capazes de decodificar as mensagens trocadas por usuários do Skype (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Skype, um programa de computador que permite que as pessoas façam ligações telefônicas pela internet, é extremamente popular. O serviço, cuja propriedade é da Microsoft, conta com mais de 600 milhões de usuários registrados. De acordo com uma estimativa, o programa é responsável por mais de um terço das ligações telefônicas internacionais. Uma razão de sua popularidade é o fato de que os serviços oferecidos são baratos, uma vez que as redes de telefone tradicionais são evitadas. No entanto, um subgrupo de seus usuários escolhe usar o programa devido à segurança – todas as conversas são criptografadas e, portanto, teoricamente, mais difícil de serem grampeadas.

Ainda assim, hackers, pesquisadores de segurança e paranoicos profissionais costumava se perguntar quão realmente seguro é o Skype. Seus usuários são alertados nos termos de serviço do programa – e seus criadores reiteraram esse fato – que dados podem ser repassados a autoridades, em casos em que haja “requisição legal e factibilidade técnica”. E devido ao fato de o programa em si ser de “código fechado”, o que quer dizer que ninguém fora da equipe do Skype sabe como ele funciona realmente, é impossível saber o que “factibilidade técnica” quer dizer de fato – ou se isso esconde problemas comprometedores do programa.

Felizmente para os paranoicos, um trio de pesquisadores acha que conseguiu conceber um modo de enviar mensagens secretas via Skype sem deixar evidente a censores e agências de inteligência que alguma coisa suspeita está acontecendo. Todos os três – Wojciech Mazurczyk, Maciej Karas and Krzysztof Szczypiorski – trabalham na Universidade de Tecnologia de Varsóvia e utilizaram uma técnica chamada esteganografia, a prima menos conhecida e glamourosa da criptografia. Enquanto a criptografia depende da força bruta da matemática para fazer com que mensagens se tornem ilegíveis, a esteganografia se fia na discrição e na astúcia para torná-las indetectáveis, ao esconder uma dentro de outras comunicações inocentes (um exemplo clássico é o uso de tinta invisível entre as linhas normais de uma carta). Desse modo, bisbilhoteiros em potencial nem mesmo sabem que uma conversa está acontecendo.

Fontes:
The Economist-Speaking with silence

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *