Início » Vida » Meio Ambiente » Um quinto da Amazônia teria sido savana, diz estudo
Ciência

Um quinto da Amazônia teria sido savana, diz estudo

Outro fato que teria contribuído foi a chegada de doenças europeias que matou milhares de indígenas, que utilizavam a região para agricultura

Um quinto da Amazônia teria sido savana, diz estudo
Um quinto da Floresta Amazônica seria savana, diz estudo da Universidade de Reading, na Inglaterra (Foto:Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Uma mudança climática há dois mil anos para um clima mais úmido ampliou a Floresta Amazônica, que antes teria parte de sua região formada por pradarias. A teoria é defendida por estudo da Universidade de Reading, na Inglaterra, publicado no periódico norte-americano Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), contrariando a crença de que a floresta seria muito mais velha, primitiva e habitada somente por povos caçadores e coletores.

Parte da floresta era como uma savana antes da mudança, segundo o cientista John Carson, líder da pesquisa realizada no sul da Amazônia. Outro fato que teria contribuído para o crescimento da floresta tropical foi a chegada de doenças europeias com a descoberta do continente americano em 1492, que matou milhares de indígenas. Já  que muitos utilizavam a região para agricultura.

A mudança no clima pode ter sido causada por alterações na órbita da Terra ao redor do Sol que levaram ao crescimento de mais árvores há dois mil anos. Os cientistas estudaram valas de até 1 km de comprimento, três metros de profundidade e 4 metros de largura, na Bolívia, em que havia pólen de grama em sedimentos antigos, o que sugere a existência de savanas, assim como encontraram vestígios de plantação de milho, indicando que povos indígenas praticavam a agricultura.

Os pesquisadores indicam que um quinto da Amazônia, no sul, pode ter sido savana e a floresta tropical cobriria o restante do território. Somente há cerca de 500 anos, em alguns trechos, o pólen de grama nos sedimentos deu lugar ao de plantas tropicais.

Fontes:
O Globo - Floresta Amazônica cresceu após mudança climática há 2 mil anos, diz estudo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *