Início » Vida » Ciência » Voyager I deve se tornar a primeira sonda a sair do sistema solar
A última fronteira espacial

Voyager I deve se tornar a primeira sonda a sair do sistema solar

Lançada ao espaço em 1977, sonda da Nasa já viajou 18 bilhões de km

Voyager I deve se tornar a primeira sonda a sair do sistema solar
A sonda espacial Voyager I, lançada em 1977 (Reprodução/Nasa)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A sonda Voyager 1 tem enviado dados para a Terra desde 1977. Mas os astronautas que a controlam no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa em Pasadena, Califórnia, nunca estiveram tão animados. Em algum momento antes de 2015, a sonda deve informar que entrou na heliopausa, uma área onde onde o vento solar já não é forte o suficiente para superar os ventos estelares de estrelas vizinhas. A Voyager 1, então, se tornará o primeiro objeto feito pelo homem a deixar o Sistema Solar.

Leia também: Asteroide vai passar bem próximo à Terra em fevereiro
Leia também: Nasa explica porque o mundo não acabou

“Os últimos dados da Voyager 1 indicam que estamos claramente em uma nova região, onde as coisas estão mudando rapidamente”, disse Edward Stone, cientista do projeto Voyager no Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena. “Isso é muito emocionante. Estamos nos aproximando da fronteira final do Sistema Solar”.

Mas os cínicos, assim como a maioria dos astrônomos, cosmólogos e, de fato a própria Nasa, apontam que a borda do sistema solar é mais adequadamente definida como o ponto além do qual um objeto não irá sucumbir à gravidade do Sol. A gravidade é, afinal, o que define o universo em maior escala. Esse ponto, porém, é aproximadamente 50 mil vezes mais longe do Sol do que a Terra. Voyager 1, até agora, viajou 123 vezes a distância da Terra ao Sol, ou 18 bilhões de km. Em sua velocidade atual, seria necessário mais 14 mil anos, aproximadamente, para escapar da gravidade do Sol.

Mas nada disso diminui as conquistas da Voyager I. A sonda ofereceu vislumbres dos quatro gigantes gasosos e uma série de estranhos fenômenos astronômicos. E na medida em que a Voyager 1 permanecerá no Sistema Solar por mais alguns anos, ela irá em breve entrar na região onde as partículas do vento solar dão lugar a uma atmosfera de poeira e outras matérias mais finas que preenchem o espaço entre as estrelas. Cientistas aguardam ansiosamente por informações deste território inexplorado.

Por volta de 2025, depois de passar quase meio século viajando audaciosamente onde nenhum objeto feito pelo homem jamais foi, a equipe vai aposentar a sonda enquanto as comunicações ainda estão disponíveis em um esforço um pouco sentimental para manter o trajeto do Voyager I em linha reta. Assim, ela continuará sua viagem,  navegando cada vez mais fundo na escuridão interestelar.

 

Fontes:
The Economist - Postcards from the edge

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    Aí eu faço uma pergunta: o que trouxe de bom esta sonda em matéria de saúde para o povo e para o universo

  2. osório almeida disse:

    Áureo, meu amigo, o objetivo da sonda não é trazer saúde, nem paz, nem esperança de honestidade dos políticos brasileiros. O objetivo é trazer CONHECIMENTO.
    E, ao que parece, a maquininha tá se saindo bem, né?
    Abraço, bom dia procê.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *