Lada de rali vira veículo de guerra para servir ao exército ucraniano | Quatro Rodas

Quem não ajuda nas linhas de frente, dá um jeito de colaborar para a resistência ucraniana na guerra contra a Rússia. Já nos primeiros dias da invasão, um grupo de mecânicos da cidade de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia iniciou a criação e instalação de blocos e concreto e outros obstáculos para impedir o avanço de tanques russos. Agora, porém, eles estão usando seus conhecimentos para transformar carros de rali em veículos de combate.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

Volodymyr Tarkhov é o responsável por supervisionar os mecânicos, que antes trabalhavam construindo caiaques e catamarãs (tipo de embarcação com dois cascos). Outros empresários da região ajudam financiando a compra de metal e peças de reposição. Ao todo, o grupo já modificou cerca de 30 carros.

No mais recente projeto, os trabalhadores estão transformando um antigo Lada de rali em um veículo militar ágil para passar pela linha de frente inimiga sem ser percebido. “O objetivo é deixar o carro um pouco mais silencioso para poder passar e permanecer invisível”, disse Welder Maxym Sendukov, de 33 anos, sobre o modelo que ganhou um novo silenciador para deixá-lo “inaudível para o inimigo”.

Continua após a publicidade

Além do silenciador, os mecânicos também retiraram as portas e fizeram um grande buraco na dianteira, para que possam atirar com uma metralhadora de dentro do carro. Também foram colocados dois bancos na caçamba para vigiar a retaguarda. “No geral, estamos apenas deixando o carro confortável para que os soldados se sentem nele ou saiam”, disse Yevgen, 45 anos, responsável por desmontar e preparar o veículo para soldagem.

As modificações têm agradado soldados ucranianos e Yevgen afirma que os feedbacks foram positivos. Segundo ele, os militares diziam que o carro é “muito rápido e fácil de manobrar” e “muito útil em missões de inteligência e militares”.

Cadastro efetuado com sucesso!

Você receberá nossa newsletter todas as quintas-feiras pela manhã.

Um dos soldados responsáveis por avaliar o veículo, conhecido como “Mamai”, elogiou e reforçou a importância do trabalho dos mecânicos. De acordo com o militar de 50 anos, havia poucos carros disponíveis nas linhas de frente e a grande maioria dos que chegaram é de carros feitos por voluntários.

“Os jipes e os micro ônibus são necessários na linha de frente para transportar muitas pessoas”, explica “Mamai”. O militar ainda destaca que a principal vantagem do “Lada de combate” é que todos os passageiros podem atirar de todos os lados do carro.

Continua após a publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.